sábado, 24 de setembro de 2011

Felicidade é dizer SIM para você!


   A trilha de bike foi quase uma sessão de terapia. Falei pelos cotovelos! Rs! Como os meninos estão voltando a treinar (Isso mesmo! Só treino com meninos!) e estou um pouco à frente no quesito fôlego, soltei o verbo, literalmente. Foi um ótimo treino! Até o nosso treinador marcou presença. 
   Rolou papo sobre casa, carro, trabalho, finanças. Coisas que, muitas vezes, homens tem um traquejo melhor. Gosto de saber a opinião dos amigos (homens ou mulheres) quando quero tomar decisões importantes. Embora a última palavra seja minha e as consequências dos meus atos venham para mim, quem está de fora enxerga qualquer problema de uma maneira diferente. Enxerga de fora! Além de tudo, tem gente que é mais entendido de algumas coisas do que de outras. Quando preciso resolver meus problemas com carro, por exemplo, converso bastante com pessoas que entendem de carro, e por aí vai.. Então faço um "reboculejo" com as idéias e organizo as minhas escolhas.
   Semana de reflexão..
   Um texto do Curso de Inglês falava sobre os momentos em que a gente precisa dizer 'não' para as pessoas. Todos os alunos filosofaram horrores! O facebook estava repleto de mensagens sobre o sentido da vida, sobre seguir seus sonhos, sobre felicidade, viver intensamente, etc, etc, etc. Como sou reflexiva por natureza, os miolos começaram a fervilhar.
   Seguir nossos sonhos requer destreza, cuidado e coragem. Destreza para lidar com os problemas que vão aparecer ao longo do caminho, cuidado com as pessoas e coragem de dizer não. A idéia do 'tudo tem limite' que aprendi com a minha avó nunca sai da minha cabeça. Ninguém sabe, na verdade, o que é certo ou errado. A vida é feita de escolhas e as pessoas cruzam o seu caminho para lhe 'favorecer' de alguma maneira nos seus aprendizados, sejam eles pequenos ou grandes. A vida é uma caminhada! E o limite está em você saber que não pode ser ou ter tudo. Infelizmente, ou felizmente!?
   Comecei a fazer vários questionamentos a respeito dos meus quereres.
   -Onde foi mesmo que parei nos meus sonhos?? O que é que quero? O que eu queria? E como será a minha vida daqui a mais uns anos? Isso pira a cabeça de qualquer caboclo! Se você não tem foco, se perde no caminho.
   Meu querido ex-marido acabou me inspirando nessa postagem. Lembrou de mim porque viu o texto da minha última postagem em algum canto. Fiquei pensando naquilo..
   Aproveito para dizer que é querido mesmo! E espero que continue assim para todo o sempre, pois tivemos uma bela estória de amor e aprendizado. Nossa caminhada juntos foi uma grande lição de vida! Nossas crianças são pessoas lindas! Nos ensinamos a dizer 'Não" e 'Sim' um para o outro, independente de qualquer coisa, mesmo doendo. E isso é mais um valor que quero levar para qualquer relacionamento que vier pela frente. Incluindo, amizades, trabalho e qualquer coisa.
   Então vem aquela estória de dizer 'não' para as pessoas e situações. Já sofri muito por causa disso e não poderei dizer que desse mal estou curada. Quem sabe da vida?! Só que outra coisa que aprendi diretinho com a minha maravilhosa mamãe é que preciso ser forte e decidida. Não posso ficar em cima do muro. Já tentei mas, nem consigo. Fui criada para ser guerreira, para assumir a responsabilidade dos meus atos. Gosto da vida clara, franca e direta! Adoro verdade! Coisa de gente AGRESTE mesmo!
   Viver a vida, preocupado em não magoar os outros, é viver a vida dos outros. É viver a vida que os outros querem para você. É viver os sonhos dos outros. Se alguma coisa não está bem, se seu coração não está tranquilo em alguma situação, seja no trabalho, no amor, nas finanças, ou qualquer outra coisa, pense no que pode ser mudado. E mude logo! A vida pode ser muito mais curta do que você pensa. Quando você menos espera, os 40 anos chegam, os 50 também e muito mais. E fique muito feliz em chegar lá com saúde! São tantas tragédias e tantas doenças que acometem o homem, que é melhor não reclamar. Sem queixas com o resfriado, por favor!
   Hummmm! Acho que isso é crise dos quarenta! Não sei, não!
   Mas, de qualquer forma, vamos lá! Se é pra pedalar numa trilha, pedale com vontade, curta cada momento, sinta o cheiro da natureza, o cheiro da vida. Se é para correr, aproveite para refletir e corra com vontade. No trabalho?! Faça o seu melhor, se entregue quando estiver lá, faça bem feito! Com seus filhos? Aproveite cada fase da vida deles. Qualquer dia eles se despedem para as suas caminhadas individuais. Ligue para os seus amigos para saber como eles estão! Não tem dinheiro que pague a felicidade de ouvir a sua amiga de infância dizer que nunca vai te esquecer, independente da distância e do tempo! Vai chorar?! Se descabele mesmo! Gaste suas lágrimas! Só lembre de se hidratar bastante. No amor!? Ame de verdade, com vontade, com intensidade, com vida! A coisa tá fria? Esquente! A coisa só vive fria? Vá embora! Se você não ama o seu par, limpe a área. Liberte essa pessoa para ela receber o amor que você nunca vai conseguir dar (não vai mesmo!) e se permita encontrar alguém que você ame efetivamente. Diga 'não' à mediocridade! Viver é permitir-se ser feliz! E ser feliz é ser compatível com as suas verdades, suas razões e o seu coração.
   Cada NÃO que você diz para alguém ou alguma coisa, certamente, será um SIM que você diz para você! Ser feliz é o mínimo que se deve fazer nessa vida!
   PALAVRA DE PENÉLOPE!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Para refletir..

Essa eu copiei sem saber quem escreveu. Foi um momento de identificação profunda, plena e absoluta. Acredito, inclusive que qualquer pensamento assim vem de alguém que tem vontade de fazer tudo isso. Talvez, ainda não tenha chegado lá! Mas, chegará, sem dúvida!
Seguramente, são conselhos imperdíveis!
"Essa é a sua vida. Faça o que você ama e o faça frequentemente. Se você não gosta de algo, mude-o. Se você não gosta do seu emprego, peça demissão. Se você não tem tempo suficiente, pare de assitir tv. Se você está a procura do amor da sua vida, pare; ele estará esperando por você quando você começar a fazer o que ama. Pare de analisar demais, todas as emoções são belas. Quando comer, aprecie cada última mordida. A vida é simples. Abra sua mente, braços e coração para coisas e pessoas novas, somos todos unidos por nossas diferenças. Pergunte à próxima pessoa que vir qual é a sua paixão, e compartilhe seu sonho com ela. Viaje frequentemente; se perder o ajudará a encontrar-se. Algumas oportunidades aparecem somente uma vez, agarre-as. A vida são as pessoas que você encontra, e as coisas que cria com elas. então saia de casa e comece a criar. Viva seu sonho e vista sua paixão. A vida é curta.”

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Release no Mural




Gente! Vejam o release do pedal da Cachoeira do Urubu no blog do Mural! As fotos e os comentários estão imperdíveis! O vídeo, melhor ainda! Rs! Acho que o relato também... rs!


www.muraldeaventuras.blogspot.com

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

O GRANDE DESAFIO DO SERTÃO

Esse relato é do meu amigo Américo Sam em sua primeira experiência em Corrida de Aventura no Desafio dos Sertões 140km. Achei tão criativo que resolvi compartilhar essa graça.


O GRANDE DESAFIO DO SERTÃO

Meus amigos e companheiros,
caros colegas e prezados cidadãos;
Vou lhes contar um fato interessante,
por isso, careço de vossa atenção.

Trata-se de uma peleja
que se sucedeu no sertão;
O desafio foi tão grande
que abalou e comoveu todo e qualquer coração!

Estava eu tranqüilo
desfrutando da vida de ocasional corrredor;
Quando em cima da bucha,
Seu Paulo, o caatingueiro, um convite me lançou.

“Venha conosco até o norte do estado
para o 4º integrante da minha equipe se tornar;
Será uma corrida ‘boba’ (boba o que moço)
e nós não teremos o compromisso de ganhar;
mas se derem trela,
a gente chega pra biliscar”.

Fiquei em cima do muro
e fui com algumas pessoas conversar;
Falei com o Véio do Mato
e ele disse que lascado eu iria ficar;
Pois, corrida de aventura é uma coisa
que apaixona e bota o cabra pra piar.

Conversei com minha família
e a autorização recebí;
Minhas filhas ficaram temerosas
mas, oraram pra eu conseguir;
Minha esposa disse:
volte inteiro, pois te queremos aqui.

Avisei ao pessoal do Caatinga
que eu nada possuía pra levar;
Malmente um par de calça e camisa, juntamente com uma bússola,
e todo o resto, eles tinham que providenciar.

Avisei também que estava com receio da minha resistência,
pois, fazia tempo que não pedalava;
Vez ou outra eu corria,
mexia com bússolas e nunca remava.

Em juazeiro, a recepção foi muito boa
me fazendo esquecer do perrengue que estava pra vim;
Mas tudo foi embora,
quando chegou a hora de partir.

A partida foi dada
e nos pusemos a correr;
Foram 8 km de corrida e caminhada,
com um sol de fazer o juízo arder.

No PC1 encontrei uma coisa
que eu sabia fazer;
Uma pista de orientação
que nos colocou a vencer.

Mas no PC2 encontrei algo
que me colocaria em “depressão”
Rema, remava, rema, remava,
porém, achei que o “barco” não saia do lugar, não.

Marcinha tinha me ensinado uma cantiga
que no lago me pus a cantar;
Eu amo remo – eu amo remo,
mas aí, meu parceiro começou a enjoar.

Pensei que a noite iria cair
e no lago estaria a remar;
Mas, hei! Que surge uma dupla
e sugere nos rebocar.

Foi à salvação da lavoura
e ao ADVOGADO AVENTUREIRO tenho que agradecer;
Paulinho e Márcia já estavam quase dormindo
quando “resolvemos” aparecer.

Ufa! Chegamos ao PC3
e juntos com outras equipes fomos o PC4 atacar;
O ataque foi bonito,
pois logo-logo chegamos lá.

A ida pra o PC5
foi um tal de trek corrido que me fez cansar;
Mas, a canseira que tava pra vir,
eu não sabia mensurar.

Por favor, registre aí uma coisa
que esqueceram de me avisar;
Pedalar, sem treino, é muito ruim
e com selim pequeno, tende a piorar.

Alcançando o PC6
fomos para o PC 7 rapelar;
Rapelamos rapidinho
e de volta, começamos a pedalar.

O pedal ficou pesado
porque tinha muita areia pra travar;
Eu clamava por uma banguela
mas aí, a equipe se pôs a me empurrar.

Batemos o PC9, o PC10
e o PC11 demorou a chegar;
E quando chegamos
faltavam duas horas pro corte começar.

Meio que receoso, fomos ao lago
para a 2ª perna de remo encarar;
A coisa tava feia,
parecia praia deserta com ondas a se quebrar.

Ventava tanto, que nem o pensamento eu mexia
com medo de o caiaque virar;
Rapaz! Ventava muito mesmo,
só estando lá, pra assuntar.

As marolas voltaram a entrar em ação
Sendo assim,
cabava ali a nossa participação;
Uma coisa eu digo,
e digo com emoção:
“Foi uma honra participar dessa prova,
que é bem chamada de DESAFIO DO SERTÃO”.

Na oportunidade, agradeço ao meu DEUS
que a todo tempo nos sustentou;
Aos caatingueiros fortes e determinados
que a todo momento minha moral elevou;
A todos, MUITO OBRIGADO,
e até a próxima com a benção do NOSSO SENHOR.

Grande Abraço,

Américo Sam

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Pedal Básico

   Não! Além do básico, seria a definição do pedal de sábado com meu cunhadinho querido.
   Claro que ele se "gabou" horrores com os seus amigos que a cunhada dele, que pedala horrores (repeti de propósito e não sei onde ele achou tanto horror), estaria em Feira de Santana no fim de semana.
   No fim das contas, depois de tanto alarde, fomos só nós dois mesmo. E, vamos esclarecer, não tem esse pedal todo não! Tenho muito que treinar.
   Feira tá um friozinho gostoso! À noite, dá a impressão de terem ligado um ar condicionado central no meio da rua. Engraçado! É tão perto de Salvador, a apenas duas horas, e o tempo é bem diferente. Lá já é o Sertão. A Princesa do Sertão, como é apelidada. O dia amanheceu nublado, sem chuva, fresco, bom pra pedalar.
   A trilha começa no quintal. Saiu, virou à esquerda, pega um retão de asfalto de uns 3km, chegou. Massa! Mas, o asfalto é estreito! Os carros passam na velocidade. Não poderia ser diferente. A educação no trânsito não muda muito. Ninguém respeita ciclista em Salvador, nem em Lauro de Freitas, nem em Feira de Santana. Paciência!
   A trilha já começa com um pouco de areia e umas ladeiras gostosas de descer. E tudo o que desce, sobe. Lá estávamos nós, subindo ladeira.
   Marcílio está bem melhor no pedal! Na verdade, nunca foi ruim! Só que não treinava. Então, ele descia com tudo, me deixando pra trás, e eu subia com tudo, descontando o desaforo. Agora a coisa está por um fio. Quase não levo mais vantagem. Teve uma hora em que ele perguntou se vi quando me ultrapassou. Sabe o que respondi??
   - Ultrapassou??! Que hora!? Não lembro não!
   Gente competitiva é uma miséria! Eu e ele parecemos duas crianças. Mas, antes, era mais respeitada! Agora está assim! Me ultrapassando nas ladeiras.
   Paramos em São Roque para relaxar um pouco, antes de começar a fazer os downhills. Descemos bastante, depois entramos numa área de pasto. As vacas curtiram a minha camisa "Rosa Penélope" e eu não curti esse momento. Por falar em vacas, os trechos de "patas de vaca" tem me perseguido. Dessa vez, pelo menos, o chão estava seco. Não precisamos carregar bicicleta. Só trepidamos bastante e o bumbum doeu.
   Chegou o subidão! O anfitrião fez questão de dizer que era muito difícil. Íngreme e técnico. Talvez eu não conseguisse. Então, eu consegui! E, lá de cima, a vista era uma beleza! Muito legal mesmo! Fiquei esperando o antitrião chegar... rs! Dava pra ver Feira de Santana, São Roque e o quanto estávamos distantes.
   Chegou a hora da trilha na mata. Pulamos uma porteira para entrar na parte mais gostosa do treino. Maravilhosa mesmo! Cílio conhecia tudo ali. Descia "avionado"! Vocês entendem "avionado"?? É bem rápido! Mas, eu fiquei meio cabreira. Não sabia o que me esperava. Mesmo assim, curti bastante.
   Ali já era a volta do treino. Fizemos um círculo para retornar a São Roque. Até lá, teve muita descida bacana!
   O treino durou quase duas horas. Pedalamos forte no asfalto, mesmo com o vento contra.
   Tive vontade de concluir com meu treino de 8km corrida, conforme a minha planilha mas, teria que ir pra uma Avenida. Desanimei! Não me estresso mais quando não consigo fazer todo o treino. Já estava planejando botar os bofes pra fora no domingo da Corrida de Orientação. Talvez tivesse mesmo que me poupar.
   Tomei bronca do meu cunhado! Ele acha que preciso me soltar mais nas descidas. Estou travada. Sem dúvida, isso é resultado da falta de treino em trilha. Tenho que treinar mais vezes em trilha, para pegar a manha das descidas. Não nego que tenho medo de me esparramar lá embaixo. Esse é o meu lado Penélope! Tenho filho pra criar e trabalho com as mãos!! Não dá pra me arriscar tanto, embora tenha certeza de que posso melhorar. Vou melhorar!
   Delícia de pedal! Vou melhorar!

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Corrida de Orientação

   Feira de Santana, domingo, Corrida de Orientação. Aproveitei para fazer um pedal básico no sábado com meu cunhado, que depois conto como foi. Senão, fica muita coisa nessa postagem.
   Meu cunhado viu o croqui que indicava o local da prova e disse que eu não chegaria lá. Achei graça! Como não chegaria lá?! Ele é tão preocupado que queria ir comigo no fim da tarde de sábado, só para ter certeza de que acertaria no domingo. Não sabe de nada! Tô tão acostumada a me perder! E sei me achar direitinho.. Sem dúvida não havia motivo para preocupação.
   Deixa explicar.. Na Corrida de Orientação você sai pelo mato, procurando os pontos plotados no mapa, que recebe na hora da largada. As pessoas da mesma categoria saem em horários diferentes, determinados pela organização. Ganha quem fizer tudo em menos tempo. Novatos, Convidados, Elite, Juvenil, Dupla. Não falta lugar pra ninguém. Fui na Elite Feminina.
   Acordei cedo, comi, organizei tudo e fui. Não antes de levar meu Totó para fazer um xixizinho básico do lado de fora. Ele acabou viajando também! E se comportou muito bem! Tomou logo um 'sopapo' depois que fez xixi na varanda da minha irmã e resolveu se comportar.
   Já encontrei Marisa, Geri e outros amigos no caminho e fui sentindo-me em casa. Na verdade, já fiz muitas Corridas de Orientação e tenho bons amigos no esporte. Estive fora da Elite por uns dois anos. Minhas aparições esporádicas eram em dupla para levar os amigos.
   Essa corrida foi num Sítio bem fofinho, cheio de cansanção, urtiga, unha de gato, gorilas, carrapicho, cercas bem fechadinhas e tudo de ruim que vocês puderem imaginar pra acabar com o caboclo. Cumprimentei os amigos e fui conversar com o troféu. Cheguei a avisar que queria que ele fosse meu. Já viu que doidisse!!??
   Putz! Só tinha fera! Dejanir, Marcinha, Meridiana..
   Eu era a primeira a largar em minha categoria. A primeira pior coisa que pode acontecer numa Corrida de Orientação é ser a primeira a largar. Acho péssimo! Sou a caça. Quem chegar junto comigo já conclui a prova em minha frente. Mesmo assim, estava confiante e firme de que faria o melhor que pudesse. E o melhor era não errar navegação e correr até cair. Se possível, cair na linha de chegada. Rs!
   "-Vamos lá Luluzinha! Você vai subir no pódium hoje! Corra!"
   Não só pensava, como falava, enquanto pegava o mapa e partia. Então peguei o prisma um... o dois... o três. Alguém me ouviu falando sozinha.. rs! O 4 estava numa árvore no meio de um mato retado! Preferi pegar a trilha para chegar até o cinco.
   Àquela altura, tinha perdido as contas de quantas cercas pulei. E de quanto carrapicho prendeu em minha roupa. Além disso, esqueci minhas luvas. Tive que usar o mapa como escudo e as mãos do jeito que pude.
   No caminho para o prisma 6, depois de pular mais uma cerca, tomei um quedão da zorra! Correr e olhar o mapa, ao mesmo tempo, não dá muito certo. O rapaz que estava subindo em minha direção não deve ter entendido nada. Sumi, de repente e levantei rapidinho. Como criança danada! Tudo bem! Não machucou muito.
   Quanto prisma escondido na moita!! O sete, o oito! Nesse trecho encontrei meu amigo Geri. Estivemos próximos por uns minutos, depois cada um foi pra um lado. Ele também corria muito! No doze tinha uma árvore e um isopor cheio de água. Bebi uma parte e joguei o resto no corpo pra esfriar o radiador. 
   Também encontrei Marisa e sua Dupla no prisma 13. Espero que ela não tenha reparado na minha falta de atenção, naquele momento. Fico meio surda quando estou na prova. E esqueço dos prismas que peguei.
   Talvez, a pior parte da prova tenha sido atravessar as cercas do 15 para o 16. Meu Deus! Quem fez aquilo pensou em destruir a pessoa com tantos espinhos! O arame farpado era bem estreito! Ainda tinha uma plantas daquelas, parecidas com  pé de abacaxi, fechando o corredor da cerca todinho. Sem faltar um pedacinho! Depois de bem inspecionar, vi que não tinha outro jeito, a não ser me lenhar toda mesmo. As meninas estavam na minha cola! Provavelmente, havia um lugar mais adequado para uma dama, como eu, rs!, passar a cerca. Infelizmente, não encontrei e rezei para que as garotas tivessem o mesmo trabalho. Só digo uma coisa: Pedaços da minha roupa e dos meus cabelos ficaram naquele mato.. e senti gosto do meu sangue na boca! Fazer o quê? Quem mandou eu ir?!!
   Depois desses babados básicos, segui correndo e repetindo o 'Vamos lá Luluzinha! Nada menos do que o primeiro lugar!'
   Bom! A segunda pior coisa que pode acontecer numa Corrida de Orientação é encontrar quem saiu depois de você. Putz! Marcinha me encontrou no prisma 19, já perto do fim da prova! Ela está muito boa mesmo! Saíra 9min depois do meu tempo. Fiz até gracinha com ela mas, não posso negar que, dei um jeito de despistá-la. Na verdade, eu fui para um lado, ela para o outro. Passei uns 5 minutos pensando que um segundo lugar não seria ruim. Desacelerei um pouco...
   Masss, uma voz dentro de mim  começou a chacoalhar os pensamentos. Lembrei de que minha proposta era correr até a linha de chegada. Olha gente! Em pouco tempo já estava correndo e repetindo que, no mínimo, daria um trabalhão às meninas. Corri loucamente para encontrar os últimos prismas, de um total de 25! Nesse momento, tive a companhia do Sr. Caumo, o famoso véio do mato. Subi as ladeiras correndo, desci correndo e atravessei as cercas sem demora. E o véio tava colado o tempo todo. Corri até a linha de chegada sem olhar pra trás. Nem olhei o meu tempo de chegada. Teria que contar com o atraso das meninas. A minha parte estava feita! Não parei de lutar, exceto naquele lapso de tempo em que encontrei Marcinha.
   Como saber se ganharia das meninas se estava sem relógio?? Tinha que esperar as garotas chegarem. Para distrair, chupei duas laranjas, comi um pedaço de melancia, conversei um pouco com os amigos, fui ao banheiro e voltei para trocar de roupa no carro. Marcinha chegou e, em seguida, as outras meninas. Sem dúvida, o pódium era mais importante para elas do que para mim, que nem tava no páreo do Campeonato. E, talvez, isso tenha me dado tranquilidade para competir sem mais tensões. As meninas chegaram em tempo estreito também. Dava pra notar que ninguém tava de brincadeira não. Estão arrasando! Todas fortes e competitivas! Fiquei feliz com o que vi!
   Resultado: Meu nome tava lá, na lista de chegada, em primeiro.
  Tinha um tempão sem fazer Orientação. Senti na pele o que a gente consegue fazer com força, determinação, concentração e coragem. Que unidos a uma pitada de sorte, fica tudo redondo! Me arranhei toda, cortei minha boca, o cansanção me queimou, rasguei mato na mão mesmo, já que as luvas ficaram em casa. Mas, deu tudo certo! Sem dúvida, estava num bom dia! Masssssa! Lindo troféu! Belo retorno!