sexta-feira, 8 de abril de 2016

Desafio do Côco 2016

   Fosse uma corrida de 1km, estaria lá! Pelo organizador, Luciano Show, que tem minha admiração. Pelas amigas queridas, nem preciso comentar. Sabe daqueles encontros em que seu coração sai abastecido de amor? Minhas amigas de infância são fofas, queridas, amorosas, inesquecíveis... E atletas!
Lycinha e Lândia (campeã dos 5km)
   Nos inscrevemos no Cross Duatlhon, 3km de corrida, 14km de bike e mais 3 de corrida. Tudo no mato, do jeito que eu gosto. Largada e chegada no Restaurante Jeitim Mineiro, que fica na estrada entre Catu e Alagoinhas. Como sempre, aproveitamos pra dormir na roça, só pra comer o aipim com carne de sertão de Dona Conça.
   Cedinho estávamos lá. E encontramos nossos amigos de Aventura de Feira de Santana, Down, Manoela e Cleo. As meninas estavam em minha categoria e o menino, na de Vitor. Ygor também estava lá, aquele nosso ex-aluno que gosta de “apertar a mente” das pessoas nas  corridas. Também na categoria de Vitor.
   Corrida curta, coisa rápida mas ofegante, sem dúvida! Já largamos correndo pela areia fofa, entramos por uma trilha mais fechada e começamos a corrida descendo. Ultrapassei Su logo no começo da prova... As descidas eram bem acidentadas, cheias de buracos e valas. Ofegante!


   Fizemos um trecho mais plano em meio a vacas, porteiras, cercas, “cocôres” de vacas e cavalos. Então todo mundo sabe que quem desce tem que subir. Meu coração já saia pela boca, enquanto Su só me monitorava, ali, logo atrás, na surdina.
   Na transição, enquanto eu calçava as sapatilhas, Su saia em disparada e sua torcida organizada de Camaçari ia ao delírio... Parti logo em seguida aos gritos dazamiga tudo, não menos animadas. Foi lindo!
   Eu pedalava, pedalava! Areia fofa, descidas, singletracks super arborizados. Marido, que não corre tão bem mas pedala que é uma beleza, me alcançou logo no começo da parte de bike. Compensou a corrida. Mas Su, minha gente, foi se distanciando a cada minuto. Seu rastro foi visto só no começo. Aquela camisa azul foi desaparecendo do meu campo de visão até sumir completamente.
   Quando achei que tinha pedalado muito, olhei o meu odômetro. AAAAAHHHH! Cinco quilômetros! A competição ficou entre eu, Lulu, Luluzinha e eu mesma. O sol começou a esquentar um pouco mais, o estradão parecia infinito. AAAAAHHHHH! Oito quilômetros! Mas eu deixei Vitor pra trás! Não sei o que deu no meu ciclista preferido. Rolou uma caruara por ali. Ultrapassei numa ladeira e me mandei. Azamiga foram ao delírio quando cheguei na frente dele!!!
   Su desapareceu de uma maneira que até pensei que ela tivesse se perdido. Olha só que miséria pra pessoa pensar! Quanta maldade num ser humano só! 
   Estava me sentindo como numa Corrida de Aventura Solo: sozinha. Até que um dia, em algum momento, em alguma situação... Deus me ajudou... cheguei em 13km, só faltando uma descida pro restaurante. Que bom! Mas, enquanto chegava de bike, Su passava correndo pra finalizar a corrida. Fiz a transição mais rápido e parti pra corrida. Mesmo percurso com mais cansaço. Subidas no trekking forte pra aliviar, descidas no embalo pra compensar.



   Cheguei em segundo sem reclamar. Os campeões são campeões por merecimento, por competência, não há como duvidar. Su arrasou! E Cleo chegou em terceiro, super guerreira!
   Foi um evento super bacana, bem organizado, uma aventura balizada gostosa de fazer. Ainda aproveitamos pra almoçar em família no restaurante e aproveitar um pouco mais os encontros felizes. Parabéns pra você, Show, que mesmo hospitalizado, deixou tudo tão arrumadinho que seus amigos e família conseguiram fazer um evento redondo. São muito competentes também! Muito obrigada pelo convite! Corrida boa a gente quer ir sempre e convida os amigos! 
   Até a próxima!