Pular para o conteúdo principal

Primeiro Dia do Ano



Nada mais saudável do que começar o ano pedalando 30km numa trilha bem bacana! Melhor ainda em companhia de gente querida. Tudo isso lá na roça, é claro!
Eu e meu terapeuta, ops! desculpe!, meu cunhado, fizemos a trilha do ladeirão. Mas é outro ladeirão. Não é o que eu subi pra ir até a casa da minha avó, no Tabuleiro. Essa trilha da qual estou falando é um pouco mais longa. Começa no estradão pela direita dos Varões, com umas ladeiras bem interessantes. Passa na "venda" de Zequinha, em Porfírio também, depois vira à direita para passar em frente à venda de João. Só figuras históricas e conhecidas por aquelas bandas! Depois de João tem uma estrada de cascalho e chega numa descida que, de tão íngreme, parece um paredão. Só desço gritando, aaaaaaahhhhhhhh! É bom que extravasa todas as energias negativas e, provavelmente, as positivas também. De lá a gente pega um retão só com subidas e descidas muito gostoso que parece um tobogã. Então chega o trecho de asfalto.

Nem preciso falar que a natureza é privilegiada nessa região. O verde é bem verde, o gado é gordinho e parece um monte de formiguinhas brancas olhando de longe.

Meu cunhado finalmente tomou vergonha na cara e resolveu treinar um pouco no meio da semana. Isso melhorou o nosso desempenho. Mesmo assim fizemos três paradas básicas para descansar, conversar (leia-se fazer terapia) e "roubar" caju. Essa época tem muito caju, inclusive lá na roça! Faz lama de caju na beira da estrada!

No asfalto o desempenho é facilitado. Mas logo chega o trecho do ladeirão. Nossa! O ladeirão é irado! Você pensa que vai acabar depois da curva, aí vem outra curva. E você pensa que vai acabar na próxima curva e, pimba! Tem outra e mais outra. E são 1500m de subida. Sempre marco o tempo para bater o meu recorde. Aquela ladeira era meu desafio para quando eu tivesse uma bicicleta. E, quando ganhei a minha bicicleta, fui lá e subi tudinho em 14 minutos. Hoje estou em 9 minutos e quero diminuir esse tempo. Sei que não estou com essa bola toda! Já estive bem melhor! Mas o meu consolo é o meu cunhado. Sempre tenho que ficar lá em cima esperando por uns minutos até ele aparecer. RS! Mas o bichinho tá ficando retado!! Treinando mesmo! Exceto por essa ladeira, quem esperou um pouco (pouquinho!) foi ele. E quando a figura ficava na frente ficava olhando pra trás com ar de provocação.

Bom! Depois desse ladeirão tem uma descida para compensar. Mas é uma descida braba! Daquelas que se a pessoa triscar no freio errado capota ou sai pela tangente. Chegamos a mais de 50km/h nesse trecho.

De lá até os Varões tem mata burros, porteiras, areial e vista linda. Ainda encontramos uns parentes no meio do caminho, bebemos uma água ultra gelada, finamente chegamos em casa direto para o pé de lima para aquela reflexão gostosa de primeiro dia do ano.

Comentários

Lucy disse…
Que saudades dessa roça!

Postagens mais visitadas deste blog

Desafio dos Sertões 2023- 140km

  Que o Sertão é um dos lugares mais inóspitos à sobrevivência humana, a gente já sabe! Que você precisa ser forte pra enfrentar a caatinga, ter resiliência, coragem, foco, determinação, também. Que o Rio São Francisco é um gigante que impõe, acima de tudo, reverência, sabemos. Querer ir lá pra experimentar tudo isso e ainda gostar, é outra história! E lá estávamos nós, no Desafio dos Sertões, nos 140km de aventura, entre mountain bike, trekking, natação, canoagem, tudo com navegação com mapa e bússola.  Nos últimos tempos, temos alternado bastante os atletas da equipe, menos eu e Mamau, que somos fominhas de prova. Mas, brincadeiras à parte, Vitor e João estão afastados por questões pessoais. Então, Lucas, nosso novinho da Turma 12 da Escola de Aventura, continuou com a gente, depois da Carrasco. Além disso, Arnaldo, da Olhando Aventura, veio fechar o quarteto, reforçando nosso time com sua experiência. Reunimos, alinhamos objetivos, organizamos a tralhas e partimos pra Juazeiro

UTCD 2023- 80km

   Não tenho um pingo de vergonha na cara. Da última vez que fiz a Ultra Trail Chapada Diamantina (UTCD), disse que machucava muito os pés e que preferia fazer Corrida de Aventura… Como se Corrida de Aventura machucasse menos. 😂    Esse ano, eu corri todas as provas do Campeonato Baiano de Corrida de Aventura, menos a Expedição Mandacaru, porque estou envolvida na organização. Então, pra fechar com chave de ouro o meu ano esportivo e comemorar meus 52 anos, decidi correr a UTCD.     Tudo bem! Eu amo correr, mas precisava ser 80km? Aí é que vou contar pra vocês…    Já que eu estava indo e já tinha feito 50km, decidi me desafiar nos 80. Fiz minha inscrição e ainda joguei minha filha no bolo, nos 35km, que depois ela mudou pra 14, por que não estava com tempo pra treinar o suficiente. Eu queria brincar o brinquedo todo!    Depois de um fim de semana de muito movimento na Expedição Mandacaru, lá estávamos nós, na semana seguinte, acampados em Mucugê, de mala e cuia, com boa parte da famíl

Malacara Race 2023- 500km PARTE 1

  Foto: @luiz_fabiano_ibex O que preciso fazer pra ir correr na Malacara? A logística pra enfrentar um desafio como esses é extremamente complexa. Envolve sua vida toda, trabalho, família, parentes e aderentes. A vida dos meus filhos tem que estar toda organizada, preciso tirar férias, tomar mil providências... Nessa lista vem inscrições, passagens, equipamentos, alimentação, agasalhos, uniformes. Coisa doida!😎 A Malacara Race fez parte do Circuito Mundial de Corrida de Aventura, seguindo todas as regras com rigor, principalmente, no que se referiu à conferência de equipamentos. Muita coisa já tínhamos, outras, precisamos providenciar.  Quando eles liberaram o guia com a logística da prova, conseguimos saber quantos estágios seriam, ter ideia da previsão de duração de cada um, o que levaríamos de alimentos, o que encontraríamos quando acabasse cada estágio. Mesmo com toda organização, a cabeça dá um nó. Tive momentos de ficar parada na frente de tanta comida, sem saber o que faz