segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Notícias do Paraíso


   
   Agora que o inferno astral passou, estou com tempo para viver outras coisas! Abrindo o livro com páginas em branco e escrevendo outras estórias... Uma mais bacana do que a outra! Dando chances para mim mesma! Até mais do que aos outros, porque tenho a sensação de que qualquer sofrimento pelo qual passo é culpa minha, não dos outros. Por isso, vivo a me perdoar... Apertando o "botão" reiniciar... Sempre aperto quando precisa.
   No fim de semana, minha "babãe" fez 70 anos... E fomos todos pra roça lhe abraçar. Fomos pro paraíso!
   Na roça é sempre muito legal! Melhor a cada dia! Principalmente, quando as bicicletas vão junto. E, desta vez, decidimos fazer um pedal no fim da tarde. Daqueles que entram pela noite.
   Em sua primeira trilha nos Varões, Vítor foi batizado com a "Volta da Pampulha". A que a gente vai até a venda de João, volta pelo gasoduto, pega aquela sinuosa estrada de asfalto, sobe o ladeirão, passa pelo Sangradouro e retorna pra os Varões. 
   Tô me sentindo uma moleza no pedal! Numa lezeira danada! Os meninos estão pedalando muito com essas bicicletas de aro 29. Só eu que tenho 26 e parece que fico em desvantagem em algumas situações. A trilha, toda de estradão, já começa com muitas ladeiras e os rapazes ficam muito eufóricos, subindo na frente, disputando a frente, como se estivessem numa corrida. Meninos são assim: Competitivos! Sempre se comportam como crianças, rs! Eu não! Sou uma mocinha, rs!
   A paisagem dá o tom do passeio, junto com o cair da tarde. Por lá está tudo verdinho! As montanhas são modestas mas, elegantes, o gado se junta para dormir pertinho (parece!), a temperatura fica mais amena. As subidas começam a dar canseira nos meninos e tem muita coisa pela frente. Tava na hora! Avisei que eram mais de 20 km. Se afobaram! 
   Ali no meio do caminho, caiu o chapéu do cavaleiro. Passando de bicicleta, fui pegar pra ajudar. Ele me reconheceu, dizendo:
    "- É a filha de Freitas?? A dentista?"
   Acho sempre tão bonitinho quando alguém me reconhece na roça! Trabalhei por lá durante anos... Fui Dentista da região, além de ser filha de Freitas e neta de Manoel Gregório, é claro! Mas, minha memória não permite lembrar de todos os rostos. Eles lembram de mim, mesmo coberta no meu disfarce de ciclista maluquinha. 
    Na metade do pedal, os meninos já estavam caindo pelas tabelas. Menos Vítor, que parece estar treinando escondido de mim. Melhora visivelmente a cada dia... Talvez tenha tomado umas vitaminas pra sair pedalando rápido daquele jeito. Será?? Eu não vi!
   A subida de mais de 1km é sempre o grande desafio! O famoso ladeirão! Uns  apostam chegar primeiro, outros só apostam que  chegam. Paramos um pouco para tomar fôlego e comer umas bananinhas antes de encarar o desafio. Ainda era dia. 
    Queria bater meu próprio recorde de subir em menos de 9 minutos. Comecei primeiro a brincadeira. Parece não ter fim... Depois da curva, continua. Da outra curva, também. O ladeirão sempre foi meu desafio pessoal. Nossa relação vem da promessa de anos atrás de que, quando tivesse uma bicicleta, subiria sem parar para descansar. E assim foi! Desde a primeira bicicleta, nunca parei para descansar no meio da ladeira. 
   Cheguei, finalmente, ofegante, sem recorde... Vítor, logo em seguida. Depois Márcio (amigo de Marcílio)... Logo atrás, Marcílio. E ainda ficamos ali um pouquinho... Descansando e jogando conversa fora.
   Não deu tempo de pegar o por do sol na descida do vale. Mas, a descida do vale é mais uma aventura singular do passeio. Uma ladeira cheia de cascalho, curvas e algumas valas para compensar tanta subida. Tem que tomar cuidado para não sair pela tangente. Dali ainda faltavam uns 8 quilômetros. E a água tinha acabado! Sou ruim de bike noturna, se não estiver bem iluminada. Nossa velocidade diminuiu bastante e ainda resolvemos parar para tomar uma coca-cola super gelada, já perto de casa.
   Fechamos o treino, descendo da bicicleta com um intuito natureba. Com os faróis desligados, paramos a uns 200 metros de casa para apreciar as estrelas e ouvir o silêncio da noite. Coisa de gente doida mesmo!
   Dentre as coisas maravilhosas que o fim de semana na roça nos proporciona, andar de bicicleta, certamente, é das mais! Sempre muito bom! 
   Definitivamente, não consigo viver a vida sem uma aventura! E isso me dá uma energia danada para começar a semana.

domingo, 2 de dezembro de 2012

24 HORAS- 41 PRIMAVERAS

   Vida de mãe solteira é muito mais difícil do que fazer uma Corrida de Aventura. Aliás, a Corrida de Aventura fica no "chulé" da vida de mãe solteira no quesito correria! Só para vocês terem uma noção do corre-corre, vou contar das vinte e quatro horas do dia do meu aniversário.
  A prioridade era passar meu aniversário com minhas crianças! Como tive duas viagens na semana, minha passagem em casa foi praticamente uma transição. Para viajar à trabalho para Brasília, São Paulo ou qualquer outra parte do universo, preciso deixar casa organizada, comida na geladeira, funcionária orientada, fazer as unhas, deixar dinheiro, pagar as contas, arrumar a vida das crianças, a vida de totó, etc, etc, etc.. Imagina só a loucura que foi!?
   Meu aniversário foi uma transição na Bahia de menos de vinte e quatro horas. Que sorte que ainda deu para ir em casa! Cheguei na quarta à noite e fui dormir super tarde por causa de todas as novidades que envolvem uma viagem, rs! Acabei comprando uns presentinhos e, conversa vai, conversa vem... Fui dormir muuuito tarde!
  Para começar bem o dia, fiz uma listinha de "quifazê", antes de entrar no avião novamente, pois viajaria outra vez no dia seguinte. Em minhas reflexões de travesseiro, entristeci ligeiramente por ter tanta coisa pra fazer bem no dia do meu aniversário. Entretanto, lembrei do ano passado, quando torci o tornozelo e passei 16 dias sem andar e dois meses sem treinar. Aquilo sim era ruim! Então agradeci a Deus por ter o que fazer e poder fazer.
   Na quinta-feira acordei com 41 anos!! Viva!
  Levantei cedo para arrumar o café da manhã do meu filhote lindo e grandão, já que a escola é pela manhã. Conversamos um pouco  e  já fui ao Pilates com o biquini por baixo da roupa e uma bolsa de praia no carro. Minha aula foi especial, relaxante, conversativa e comemorativa. Minha professora é uma criatura linda! Aliás, tenho conhecido tantas pessoas especiais que, muitas vezes fico admirada com a bondade Divina para comigo. Zé, o meu anjo da guarda, só me aproxima de pessoas bacanas! Além de tudo, resolve todos os problemas que não consigo resolver. Olha só que coisa boa!!!
   Pois é! Não se pode comemorar aniversário sem dar um mergulho no mar! Um banho de sal grosso natural! Você aproveita e agradece  à Mãe Natureza por tudo o que se passou e faz uma oração pedindo para que a primavera seguinte seja ainda mais especial. Posso afirmar que foi um banho de mar significativo, contemplativo e todos os "ivos"...
   Quase na entrada do meu Condomínio, minha funcionária liga para pedir uma lista de compras. Putz! Já estava tão atarefada! Tinha hora no salão... Mas, tudo bem! Nem doeu tanto e fui rápida, dinâmica e objetiva! Deixei as compras, tomei um café da manhã com minha titia Flor e filhotita Tiloca e corri pro salão. Não dava para ficar com aqueles cabelos rebeldes no dia do aniversário, muito menos de unhas descascando! Putz! Faço unhas em outro salão. OMG! Paciência para essa louca desvairada! Dois salões!
  Volto pra casa na agonia! Uma paciente ligara com dor de dente, meu voo foi adiantado em uma hora e precisava almoçar, levar a filha na escola, ir ao consultório... Quanta coisa! Pensava que em algum momento o dia acabaria e eu teria que deitar numa cama e ficar bem quietinha. Que no fim de semana comemoraria minha primavera com os "meus". 
  Então, tia Flor, Neusinha e as crianças fizeram um almoço com minha comida preferida, bolinho confeitado com frutas e cobertura de chocolate e sobremesa de maracujá. Cantamos os parabéns com direito a presentes e muito carinho. Talvez a festa mais rápida que já tive! E, provavelmente, das mais importantes.
  Levei pequena na escola e parti para o consultório. A paciente esperava ansiosamente! Enquanto fazia o atendimento, não conseguia atender aos telefonemas do amigos, nem retornar mensagens, nem responder facebook. Nada!
  Dali mesmo, corri pro salão das unhas! De lá, voltei em casa, peguei a bolsa que ganhei e levei no Shopping pra trocar. Êta corre-corre retado!
  Minha mala foi desarrumada e arrumada ao mesmo tempo. Enquanto dava os últimos ajustes, ligava pra São Paulo... Tinha uma lista enorme de material pra comprar e combinara um encontro com o vendedor na sexta bem cedinho, na porta da Faculdade em Campinas. 
  Paramos por aí?? Não!! Lá vou eu pro aeroporto! Um engarrafamento tão grande que pensei que perderia o voo. Affff! A viagem acabou sendo um momento de descanso, porque ainda saí para jantar em Campinas para comemorar o meu aniversário, chegando em casa lá pelas tantas.
  Foi a maior correria mas, deu tudo certo! Lembrando de que a minha vida é cheia de coisas boas e ruins, igualzinha a de todo mundo mas, nunca deixo de dizer que é maravilhosa. Qualquer um que fizer um balanço sobre a própria vida vai encontrar uma quantidade de  bons acontecimentos. Então, já que é para viver, vamos falar bem da vida!
   No final, deu tudo certo, bem na conta mesmo! Ufa! Vamos relaxar, fazendo Corrida de Aventura!