domingo, 30 de outubro de 2011

Que treino que nada!!

   Aí Deus disse:
   - Minha filha, você está fazendo 40 anos. Já pintou o sete nesses anos todos! Você não para quieta! Capoeira, teatro, natação, dança, corrida, remo, rappel, mountain bike... Tá na hora de dar uma pausa de alguns dias pra relaxar, repensar, recapitular e recomeçar. Já mandei recado várias vezes, dizendo para você descansar um pouco. Mandei uma gripe de 10 dias, mandei aviso pelos seus amigos, pelos seus filhos.. sua mãe também deu o recado. Mas, você continua trabalhando, inventando coisa pra fazer, treinando.. e não pára. Agora vai ter que descansar um pouco!
   Muitas vezes, os amigos questionaram minha vida de corredora.. Dias antes do meu aniversário, estava no auge dessas reflexões. Aquelas reflexões de mudança de primavera.. Das mais importantes, diga-se de passagem! E as justificativas que eles encontram para minha dedicação ao esporte são bem interessantes! É claro que tem muitos que admiram, e só. Alguns dizem que faço para fugir dos problemas, outros dizem que quero me aparecer e ainda há os mais pessimistas que afirmam que vou envelhecer mais cedo do que qualquer pessoa. Pô bicho! Acho a maior graça de quem acha que não fazer nada é que é normal, fazer muita farra é que é normal. Embora também saiba que qualquer coisa em excesso sai do padrão de normalidade e esse negócio de ser equilibrado é um troço pra lá de complicado, meu lado reflexivo fica ligado.
   Sim! Já corri para esquecer meus problemas! Tem coisa mais saudável do que fugir dos problemas dando uma corridinha de 10km?? Não, de 15km.. Já treinei por um monte de motivos! E demoro horrores para achar uma explicação exata para tudo o que faço. Possivelmente, fazer análise tornaria tudo isso mais rápido. Mas, não tem dinheiro que pague a companhia dos amigos, o contato com a natureza, a adrenalina de uma boa trilha, o cheiro da terra, a lama na cara, o espírito de equipe, o pensar no outro, o cuidar do outro. São tantos os ganhos, que as perdas viram meros detalhes. Todo mundo vai ficar velho.. não adianta não! Além de tudo, simplismente, amo contar estórias! Adoro escrever as maluquices que faço, e as que penso também! Imagino que estimulo alguém a se mexer, a tomar atitudes, a mudar seus padrões.
   Adoro fazer aniversário e nem sabia porque aquele dia não estava tão interessante para mim. Achava que era uma crise dos 40 anos quando, na verdade, nem estava me incomodando com a idade que fazia. Se eu não fizesse 40, teria morrido. Dá pra entender isso? Mas, acredito que tive vários sinais para não entrar naquela cama elástica.
   Já pensei, nesses dias de repouso, que enlouqueceria de tédio. Por que cargas d'água isso aconteceu comigo?? Tá um 'saco'! Tenho feito o possível pra manter o bom humor. Tadinhos dos meus filhotes! São uns amores! Amores mesmo! Fazem de tudo para ajudar. Sei que isso faz parte da minha condição de provisoriamente impossibilitada de resolver minhas coisas. E eles são só crianças que se esforçam e dão o máximo de si.. Tenho que dar graças a Deus! Se eu não tivesse filhos, meu bicho de estimação não conseguiria fazer nada por mim. Os amigos não podem se mudar pra minha casa e nem ninguém da minha família, embora estejam todos se empenhando no que podem.
   Isso é bom! Do que é mesmo que estou reclamando?! Todos os dias tenho visitas dos meus amigos queridos, já fui comer pizza de muletas, fui ver a peça de teatro da minha filha, trabalhei um dia no consultório e estou aproveitando para estudar e ouvir muita música. A turma compra medicamentos pra mim, traz o pão pra gente tomar café, liga. Até dança das muletas já inventei! Meus braços estão ficando malhados com as descidas e subidas das escadas. Ou seja, estou fazendo bom proveito desse momento que parece difícil. Sei que tem gente em situações muito piores e não posso reclamar de jeito nenhum. Basta usar a criatividade e ter senso de humor que o tempo passa mais depressa. A palavra chave do momento é PACIÊNCIA. É isso! PACIÊNCIA!
   Então, lembrei de uma frase que li um dia desses que dizia assim: "Recuar?? Só se for para dar impulso!"
   Paciência Luluzinha!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Penélope Quarentona

   A idéia não foi de Mauro! Dessa vez, ele não teve nada a ver com isso!
   Queria comemorar meus quarenta anos em grande estilo! De preferência, sentindo-me jovem (Detalhe: sinto-me jovem!). Seriam duas farras. A primeira com bolo, brigadeiro e pãozinho para o dia 25 de outubro não passar 'batido'. A outra seria o "grande baile", o "regabofe" da roça, com direito a dormida, pedalada e caruru. Como aconteceu no ano passado, reunindo amigos de várias fases da minha vida.
   A idéia 'brilhante' foi minha! Aluguei uma cama elástica para a brincadeira do dia 25 ficar mais emocionante. No fim das contas, poucos amigos estavam disponíveis em plena terça-feira, pois fui avisando em cima da hora mesmo. Quem ligava pra dar os parabéns, era convidado para comparecer à noite.
   As crianças estavam numa farra só! Mariana, filha da minha amiga Ytana, só queria entrar comigo na cama elástica, rs! Eu era uma palhaça na cama elástica! Jogava as pernas pro ar, pulava alto, ria, gritava... Uma verdadeira farra!
   Depois de um brinde, no meio da bricadeira, convidei mais adultos pra pular comigo. Só Mauro e Fred se animaram. Mauro é enorme e cada salto seu fazia a gente voar. Num desses movimentos, torci o tornozelo e não deu para levantar. Nem consegui sair da cama elástica sem ajuda. Fiquei paralisada de dor. O pé começou a inchar de imediato..
   Que situação! Já fiz tanta coisa doida nessa vida! Subi em morro de mais de 2000m de altitude, escalei pedras vendo a cachoeira descendo ao meu lado, pedalei 300mil vezes à noite, atravessei rios de madrugada, nadei em lagos congelantes, perdi noites dentro de mangue sem achar o caminho pra ir embora. Tenho 3 provas de mais de 500km nas costas, todas feitas em cinco dias, dormindo no chão, no meio da estrada, em praças, tomando banho em rio pra tirar metade do "budum". Foram incontáveis riscos iminentes e, chego numa inocente cama elástica, me machuco. Qualquer um pode imaginar o tamanho da minha angústia! Como cuidaria da minha vida e dos meus filhos?!
   Continuando a estória..
   As crianças ficaram muito preocupadas, inclusive e, principalmente, as minhas. Elas me olhavam com aquela cara de 'E agora? O que será de nós sem a mamãe para dar conta de tudo!?'. Tentei não chorar mas, não deu não! A dor me fez até sentir enjoo. Em algum momento, tive vontade de dormir para ver se a coisa ficava mais amena.
   No momento complicado ficou todo mundo meio embaratinado. A dúvida estava entre ir logo à emergência ortopédica ou colocar gelo pra resolver no dia seguinte. Mauroba Magaiver do Agreste encontrou um papelão para improvisar uma tala. Improviso é com ele mesmo! Gabi, Ytana e Catarina ficaram no apoio moral. Lucy e Tiago foram à farmácia comprar o antiinflamatório.
   Enquanto trocavam minha compressa de gelo e recolocavam a tala de papelão, ligamos para o especialista em torcer tornozelo.. Scavuzzi! Ele já torceu tanto o tornozelo que sabe todos os procedimentos, incluindo o que o médico vai fazer e receitar. Pelo telefone mesmo, esclareceu que a lição disso tudo era que eu estava muito velha para ficar pulando em cama elástica. De um senso de humor perfeito o meu amigo!
   As crianças presentes só queriam ir embora do aniversário da Tia Lulu depois dos parabéns! Improvisamos o bolo num banquinho ao lado do sofá pra eu poder apagar as velinhas, já que não conseguia levantar. Os poucos convidados ajudaram meus filhos a arrumar a casa e guardar as coisas de geladeira. Mauro me carregou de 'macaquinho' até meu quarto, todos vieram me abraçar e se foram. Minhas crianças terminaram de fechar a casa, pegaram seus colchões e vieram para o meu quarto. Tiveram medo de dormir comigo e me machucar mais mas, ficaram ali pertinho em seus colchões.
   Antes de adormecer, tentei planejar o dia seguinte. Precisava desmarcar os pacientes, arrumar um jeito de ir ao hospital para saber se foi grave, tinha uns filmes pra devolver.. Mas, como resolver tudo sem poder andar, muito menos dirigir? E sabem o que a pessoa faz quando não sabe o que fazer?? Acertou! Nada! Então fui dormir..
   Acordei com meu filhote se arrumando pra ir à escola em meio àquela chuva do começo da manhã. Não pude descer para arrumar seu café da manhã, nem levá-lo à escola. Mais tarde, às 8 em ponto, meu amigo Mauroba ligou para saber o que estava pensando em fazer.. Na verdade, já acordei sabendo o que faria! Só não sabia como! Então posso dizer que meu anjo da guarda (o Zé, lembram?!) avisou aos meus amigos que precisava de ajuda. Bom! Mauro organizou tudo! Ligou para Marcelo, contando o ocorrido, que já me ligou combinando a hora que me pegaria para ir ao Ortopedista.. Pôxa! Eu tenho tanta sorte que qualquer apuro parece só coisa da minha cabeça. A Providência Divina resolve tudo!
   Voltei pra casa com o pé engessado, e assim será por 8 longos e perpétuos dias! As pendências de hoje estão OK. As crianças estão me dando uma força danada! Neusinha tomou o maior susto quando me viu detonada. Amanhã devo alugar umas muletas para dar uma passadinha no Consultório com uma carona que consegui. Além do mais, vou a um esperadíssimo evento da escola da filhota no sábado, capengando mesmo. Não posso perder a peça de teatro da pessoa! Fora isso, estarei de molho mesmo. Quietinha.. O aniversário com pedal do fim de semana foi cancelado. Esqueçamos essa parte, por enquanto. Tem a Carrasco no fim de novembro.. Vamos parar com essa conversa pra eu não chorar! Esperemos tirar o gesso pra ver como estarei.
   Agora, com a cabeça fria e a perna pra cima, estou aqui a avaliar todas as lições que posso tirar de tudo o que aconteceu em pleno festejo de 40 anos. Esperei 40 anos para comemorar e acontece uma coisa dessas!.. Paciência! Não posso ser tudo, nem fazer tudo! Não sou super! Poderia ter sido pior! E tenho pessoas maravilhosas por perto com as quais posso contar a qualquer hora! Que bom que estou aqui, nessa caminhada, nesses encontros felizes! Quarentona! Esperando calmamente a semana passar, vivendo um dia após o outro, uma pendência depois da outra, pacientemente. Quero ficar boa logo! Colocar o pé no chão e comemorar a minha saúde! Correr, pedalar, remar, pular! Blá, blá, blá!
   "Feliz aniversário Luluzinha! Viva a sua vontade de se mexer!!" Talvez a lição seja bem essa.. Será??

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Encontros e Reencontros

   Ótimo  fazer coisas diferentes! Dá uma sensação de versatilidade, de independência. Se sua vida está parecendo parada (Fale sério, nunca está parada!), mude de ares! Faça coisas diferentes com pessoas diferentes. Pode ser com namorado(a), companheiro(a), amigos novos ou antigos mas, mude alguma coisa. Chacoalhe sua vida como se pegasse alguém pelos pelos ombros e sacodisse forte até balançar a cabeça!
   Pensando nisso, fui à Feira de Santana para o Jubileu de Prata da minha Faculdade, que acabou caindo num dia antes do meu aniversário de 18 anos de formada. Ótima pedida!
   Como uma Penélope que sou, a primeira preocupação foi a roupa que usaria numa festa onde encontraria meus ex-colegas de faculdade e grandes amigos que não via havia anos. Você acaba querendo causar uma boa impressão. Há algum jeito de não ter dúvida?? Alguém por aí não gosta de causar uma boa impressão? Acho que não! Faz parte da natureza feminina perguntar-se 'com que roupa eu vou para o samba que você me convidou??'.
   Bom! Ter quase quarenta ajuda em muito nessa hora. As dúvidas duram apenas alguns minutos. Num instante lembro de que devo ser apenas Luciana. Vestir uma roupa bonita e confortável, de preferência, alguma que já tenha rendido muitos elogios. Nada de maquiagem pesada, muito menos, escovar os cabelos! Não gosto de fazer escova no cabelo e espero que não tenha deixado ninguém decepcionado com essa confissão, rs! Sandálias altas demais acabariam com os meus pés e não posso viver sem pedalar ou correr. Outra declaração que pode acabar com os meus sonhos de princesa.. rs! Mas acabei usando umas sandálias bem altinhas, sim!
   Então tá! Cheguei em Feira super tarde e um pouco ansiosa! Pensando se encontraria mesmo os meus amigos ou seria uma daquelas solenidades chatinhas de Faculdade. Deu vontade de inventar uma desculpa pra mim mesma e não aparecer. Hummm! Isso nem combina comigo! O máximo que aconteceria era chegar, não encontrar ninguém e voltar pra casa. E é claro que essa possibilidade era quase nula.
   O resultado foi uma grande noite! Voltei pra casa feliz da vida e agradecendo a Deus pelo lindo encontro com o meu passado. Abracei amigos queridíssimos e me diverti muito! Que bom que eu fui!
   Claro que a gente treinou no domingo! Mas, quem inventou um pedal às 6h da manhã depois de uma noite de festa?? Putz!! Fui eu mesma! Essas foram as palavras que disse a Gabi quando falei com eles de manhã cedo. Só eu para inventar uma maluquice dessas!
   Mauro, para não mudar sua história pregressa, esqueceu de levar os capacetes de bike para Feira de Santana e acabou conseguindo outros emprestados. Meu amigo não tem jeito mesmo! Gabi tem razão em dar uns corretivos nele.. Homens precisam de corretivos de vez em quando. RS!
   O 'bom dia' do meu cunhado foi substituído por 'Lu! Pedale porque eu falei com meus amigos que você pedalava muito!'. Não sei não, viu! Quanta responsabilidade! A pessoa vai pedalar com o outro e ainda exige um bom desempenho. Pior ainda é quando a notícia é dada depois de uma noite de festa. Que figura!!
   Eu, Marcílio e seus amigos- Beto e Márcio- nos encontramos com Mauro e Gabi no viaduto da av. Maria Quitéria e seguimos para a trilha, comandada pelos anfitriões. Uma trilha super bem escolhida! Tranquila no começo, bem ágil, de estradão de barro e muitas descidas e subidas legais! Depois a coisa foi ficando animada e emocionante. Meu filho diria que foi um pedal irado! 
   Dona Gabriella está pedalando horrores! Toda vez que volta a treinar, fica o cão de calçolão com 15 dias de treino. Ainda tive que ouvir que ela está melhor do que eu. Ou seja, tenho que treinar mais ainda, rs!
   As trilhas de Feira de Santana são maravilhosas! Depois desse trecho de estradão, encontramos a turma de ciclistas, Lobo Guará, que nos convidou a seguir com eles. O downhill foi alucinante! Lembro que fiz aquele trecho numa outra época, quando estava começando a pedalar, e meu desempenho foi bem diferente. Acho que melhorei, perdi mais o medo. Parecia um tobogã dentro da mata. Acabando esse trecho, ainda descemos uma outra parte com pedras, que também foi bem bacana! Tão bacana que saímos de lá, prometendo voltar no fim de semana seguinte. E rindo pelas tabelas.
   Pôxa! Que beleza de vida! Paramos para tomar a velha coca-cola gelada com direito a caldinho de sururu e a zorra! Aqui em Lauro de Freitas não tem trilha com vendinha que tem caldinho de sururu, tem?? Tá vendo!!?? Lá em Feira tem. E dos bons!
   De lá, nos despedimos dos Lobos Guarás e voltamos para casa cheios de energia para começar a semana!
   Que bom que eu fui! Quantos encontros felizes! Quanta energia boa!