domingo, 31 de julho de 2011

Treino de Penélope




Ainda melhor do que treinar com a Aventureiros, é treinar com uma Penélope. Sábado foi um dia especial! Eu e Thays fizemos uma trilha juntas. Às 7:10h, já estava em frente à casa dela, fazendo um alongamento básico, empolgadésima. A mamãe de Bia estava ávida por um treino. Querendo voltar à velha forma. E, pelo que vi nesse treino, isso não vai demorar muito.
Faz tempo que fiz um treino conversando tanto. Tenho treinado sempre sozinha, rs! (Se conversar comigo mesma vou parecer louca.) Mas não foi porque tava sobrando fôlego, não. Foi porque a gente tava com assunto atrasado de um ano. Imaginem?! Era pra ter feito uma pauta antes do treino pra não faltar falar nada.


Trilha escolhida: Abrantes. É a que nos inspira menos perigo pra ir sem muita gente. Thays tem medo de gente. É assim mesmo que ela fala. 'Tenho medo de gente, Lu!' E eu tenho medo da minha falta de medo, embora fique irritada com as provocações que, algumas vezes, ouço.


Nosso básico foi feito, mesmo com muita conversa, numa velocidade constante. A trilha de Abrantes parece sempre nos reservar alguma novidade. O verde muda de tonalidade, o chão fica mais arenoso ou mais seco. Os cachorros dormem de vez em quando. Até as ladeiras parecem diferentes, a depender do condicionamento.


Descíamos as ladeiras sem tocar nos freios, sentindo o vento no rosto e liberando alguns gritos básicos. A chuva veio forte no meio do treino para tornar a coisa ainda mais prazerosa. Os pingos pareciam pequenas pedrinhas de tão fortes. Ficamos ensopadas. Curtimos cada momento.


Thays estava em êxtase de felicidade! Voltei pra casa toda feliz também! Pronta para continuar. Só comi uma besteira, tirei a roupa de ciclista, vesti a de corredora e saí para completar o treino do sábado. A chuva continuou, mais fraca. Aproveitei pra correr na orla. Não perco uma oportunidade de ouvir o barulho das ondas do mar. Embora não seja da água (sou da terra, definitivamente), isso tem me feito um bem enorme.


Foi um treino especial! Não há terapia melhor do que conversar com os amigos. Na conversa, a gente vai se ouvindo e se entendendo. Vai compreendendo melhor a vida e a razão de ser das coisas. Os terapêutas que me perdoem mas, tenho uma forte impressão de que nunca estarei numa sala, conversando com um deles. Até já tentei mas, não dá gente! Prefiro montar minha bicicleta e sair por aí afora com meus amigos.


Tava sentindo tanta falta disso! Nossos dias de treino estão agendados. Já estou adaptando minha planilha com meu treinador. Me dei ao luxo de só fazer a corrida no domingo. Também sou filha de Deus! Como dizia minha avó: 'Tudo demais são sobras!' Se só viver treinando, não vai sobrar tempo pra mais nada. Tenho que pegar uma praia, curtir outras paradas!

sábado, 30 de julho de 2011

Eu protesto!

Pra que será que serve a Engenharia de Tráfego de uma cidade? Imagino que seja para melhorar o fluxo de veículos, a trânsito dos pedestres e dos ciclistas. Também acho que serve para melhorar a sinalização. Para colocar ordem no trânsito, é o que deveria ser.

Aqui em Lauro de Freitas, há controvérsias! A começar pelo caos que se instalou com a mudança do trânsito na avenida Luis Tarquínio. Eram vários acessos a Vilas desde o centro de Lauro de Freitas até o lado de cá. Agora ficou difícil! Além do prejuízo ao comércio local, a mudança causou uma confusão tão grande que tiveram que desligar os semáforos, que agora só servem de enfeites. Melhor nem imaginar quanto custaram para não serem usados...

E a obra que fizeram na pista da Estrada do Côco?!! Do aeroporto até a ponte do Rio Joanes (perto da antiga Pizza Hut) não há mais acostamento. Fizeram três pistas. Quem já viu isso?! Além de não ter um acostamento para os carros, pedestres e ciclistas que utilizavam esse espaço, não tem vez. Se já não respeitavam, imaginem agora?! Como fazer para chegar ao local de treino sem ser pego por um motorista aloprado.

Passei por isso hoje. Fui fazer trilha, saindo de casa de bicicleta pra o ponto de encontro antes da ponte do Rio Joanes. Mesmo cedinho, os ônibus e os carros lhe intimidam o tempo todo. O risco de sofrer um acidente é iminente. Nem os próprios ciclistas, que utilizam a bike como meio de transporte, se dão ao trabalho de ler o diacho do Código de Trânsito pra entender que bicicleta anda na mesma direção do fluxo dos carros. Preciso ir sinalizando o tempo todo pra não me bater com os trabalhadores/ciclistas que estão vindo na contramão. Paciência! Deu trabalho mas, cheguei lá!

Posso continuar reclamando? Começo a acreditar que mulher não pode treinar sozinha. Os homens treinam sozinhos sem que ninguém os incomode. Mulher não! Os marmanjos passam soltando piadas o tempo todo. Reduzem a velocidade dos carros, assustando a gente. Até fechada de carro eu já tomei! E não sou nenhuma Miss Brasil, não!! Paquerar e olhar são coisas bem diferentes das palavras grotescas que tenho ouvido. E olhe que sou destemida de uma forma até desmedida. Mesmo assim, sinto vontade de parar de treinar sozinha. Sim! Sim! Sei que é perigoso! Mas, é perigoso por causa de ladrão, não por causa de homens que se dizem normais.

As pessoas precisam ter mais respeito pelas outras, gente!! Ter mais educação. Precisam exercitar cordialidade, elegância e gentileza. Onde é que vamos parar desse jeito?

Dá vontade de 'dar uma de doida' e comprar aquele aparelho que dá choque, descer da bicicleta chegar perto do pescoço de cada pessoa e TZZZZzzzzz! Como não posso fazer isso, vou adequar meus horários aos dos meus amigos, o máximo que puder pra não acabar pendurando as sapatilhas. Mas, não é de bailarina, não. É a das bicicletas!

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Corrida Solo




Essa foto me trouxe uma lembrança muito boa! Tinha colocado na última postagem pra ilustrar a minha alegria em voltar a treinar com a frequência que me faz bem, seguindo a planilha direitinho.

A foto é de 2006. Na primeira Corrida de Aventura Solo da Bahia, organizada pela Paletada. Já navegava um pouco. Fiquei super animada pra ir. Teria trekking, bike, natação e rappel. Me pelava de medo de rappel, embora já tivesse feito. Acho que foram uns 45km de prova, com previsão de terminar antes do anoitecer.


Marcelo resolveu o primeiro empecílio pré-prova, me emprestando sua bicicleta muito maior do que eu. Márcio me desanimou, dizendo que não fosse porque me perderia no mato e, sozinha, ficaria difícil voltar antes de anoitecer. Tudo bem! Desanimei! Pensei em não ir. Estava começando em Corrida de Aventura e seria muita cara de pau me arriscar, navegando sozinha numa corrida.


Apareci no treinamento de rappel só pra conhecer o pessoal. Voltei pra casa decidida a ir, quando percebi que um monte de menina que, sequer tinha corrido na vida, faria a prova. E fui! Arrumei uma mochila com comida e água e fui!


Concentração em Jacuípe. Entregaram o mapa para planejarmos a prova em uma hora e nos mandaram para um buzú cheio de atletas. Só na categoria feminina eram 17. A largada foi em Jauá. E lá estava eu com dor de barriga na linha de largada. Tudo era novidade! Tinha feito poucas corridas. Algumas de orientação. Tinha várias meninas experientes competindo. Eu era favorita a qualquer lugar bem longe do pódium.


Largamos num trekking naquelas Dunas de Jauá, passamos por trás da Millenium e pegamos um PC no topo das dunas. Àquela altura naquele areal, eu estava bem cansada mas, tentava fazer tudo certinho pra não me perder no caminho. Só via gente correndo pra todos os lados.


Peguei o PC e fui embora. Atravessei a pista e fui para aquelas bandas de Areias. Ali tem muita trilha e muita água também. Tanto que teve um trecho de trekking dentro do rio cheio de junco. Tudo muito molhado! Sei que fui pelas trilhas afora me sentindo muito bem. E livre! E independente! Auto-suficiente também! Tive medo de cobra dentro daquele junco. Tive medo dos bois que estavam no pasto. Tive medo de pular um Portão enorme que dava acesso ao lugar onde estavam as bicicletas.


As meninas estavam meio misturadas! Eu estava bem longe das primeiras posições e longe de ser uma ciclista habilidosa (até hoje ainda não sou.. não fiquem decepcionados!). Fiz a transição para a bike naquela igrejinha de Areias, perto do Posto Policial de Arembepe. Muitos já tinham ido. Peguei a bicicleta e fui bem tranquila pra não me perder. Fiquei sozinha em vários momentos. Os PCs foram aparecendo, um a um, em minha frente. Devagar e sempre!


No emissário da Cetrel, já tinha muita gente fazendo rappel. Lembro da competitividade exagerada de alguns, que até dispensaram os equipamentos de segurança para passar em minha frente. Fiquei um pouco indignada mas, a organização não se importou muito. Meu rappel foi demorado mesmo. Desci com medo! Mesmo assim enfrentei e cheguei até o chão, que não estava muito distante. Agora sei o que é um rappel.. rs!


De volta pra bike, preferi pegar o trecho seguinte pelo asfalto. A outra opção me parecia muito arenosa e confusa. E foi melhor mesmo! Minha velocidade não era das melhores, o asfalto estava bem quente e ainda tinha o perigo dos carros na pista. Mesmo assim, ultrapassei um monte de gente.


Fnalmente, o Condomínio onde entraria pra chegar perto da travessia do rio Jacuípe e concluir a prova. Nossa! Já sentia dor de cabeça! O sol fritava meus miolos! Só pensava em terminar. Mas nem imaginava em que posição estava. O último PC antes do rio era Mateus. Lembro como hoje quando ele falou: "Vá embora agora que você está em segundo lugar!". Só de contar, senti a adrenalina daquele momento! Fiquei tão eufórica que queria saber como tinha conseguido chegar ali em segundo lugar. Me embananei toda! Tava perdendo tempo. Larguei a bicicleta e fui atravessar o rio.


Ali que eu vi a situação ficar difícil! Era muito pior na natação do que sou hoje. Coloquei o colete, escolhi um ponto e entrei no rio com tênis e tudo, como sempre. Só que a maré tava enchendo, jogando pra dentro. Meu colete ficou folgado, subia pro pescoço. Perdi meus óculos! O rio começou a me jogar pra cima do mangue. Que desespero horrível! Tinha um cara atravessando também mas, ele levou um palmar, se mandou e estava pouco se lixando pra existência dessa mortal aqui. Que, por sinal, poderia ter ficado presa no mangue, com a pele toda "engiada", até alguém me achar. Boiando com aquele colete me gargelando. Que trágico!


Perdi um tempão nessa agonia. O chão apareceu no momento em que já não aguentava mais bater braço. Pra dificultar mais um pouquinho, saí muito longe da chegada. Corri por um mangue que parecia não ter fim até encontrar o pessoal. E a foto acima retrata minha alegria em chegar tão bem. Pena que perdi o segundo lugar para outra menina, que chegou depois de mim antes da travessia mas, escolheu um ponto melhor para passar o Rio Jacuípe.


De qualquer forma, subi no pódium! Não fiquei perdida no mato! Perdi meus óculos e vários medos!

terça-feira, 26 de julho de 2011

Dias de Treino





Foi tanto o desejo de ter companhia pra treinar que a semana começou cheia de encontros, telefonemas e emails. Agora estou com gente demais!! Não sei o que fazer. Vou treinar um dia com cada pessoa! Rs!
Terça, fiz um regenerativo de corrida...



Deixe eu contar uma coisa.. Tem um vizinho e amigo meu que, todas as vezes que me encontra indo treinar, diz assim: "E aí Lu! Vai ali, até a Praia do Forte fazer um regenerativo?" Ele me acha uma doida! A Ni, aquela amiga com quem fui pra Cachoeira do Urubu, diz que se me encaminharem pro CAPS (.. um serviço de aconselhamento psicológico lá do nosso trabalho) não saio mais de lá. Mas não sou doida não! Só viciada em endorfina!



Continuando... foram 8km de regenerativo. Tenho um pouco de agonia de treino regenerativo (leve). Em 1h e 5minutos fica complicado. Meu ritmo é constante. Só consigo subir o ritmo, descer pra mim é muito complicado. Não é brincadeira não! Tenho muito mais habilidade em correr do que em andar. Se tiver com as pernas doendo numa prova, prefiro correr a andar. E não pensem que sou ''a porretona não! Um corredor de rua riria dos meus tempos de corrida.



Então fui na maciota, fazendo o meu velho e conhecido percurso de 8km. Pra correr no tempo prescrito, teria que ir os 4km em mais de 30min. O batimento já não está subindo muito e as canelas não se incomodam mais com a rotina de treino. Quando cheguei aos 4km, olhei o relógio e.. putz! Só tinha 24minutos correndo. Paciência!



Cômico que passei por um cara com jeito de corredor. Foi tããão difícil pra mim! Tive que me segurar pra não aumentar o passo, pra não comer a pilha. Pôxa! O que aquele cara deve ter pensado de mim!? "Essa mulher não corre nada!!?" É.. acho que não sou tão normal mesmo não!



Já voltando, parei pra falar com uns amigos por uns 4minutos. Acabei num tempo total de pouco menos que 52minutos. O pedal de hoje também foi massa! Amanhã tenho 8km de corrida leve outra vez. Acho que vou de ré!



Bom! Tinha pedido pra meu treinador aliviar no meu treino. Sei que o treino dessa semana é todo leve mesmo, por causa do ciclo de treinamento em que me encontro. Sei também que ele vai ler isso aqui e perceber que está fácil demais. Nem quero ver a minha planilha da próxima semana! Tô frita!

domingo, 24 de julho de 2011

Bike do domingo







Domingo foi dia de bike! Quando Tadeu ler isso vai perceber que meu treino foi incompleto, mas ele tem noção das dificuldades momentâneas.


Em ritmo normal, geralmente, são três modalidades no sábado e duas no domingo. Como estou em câmera lenta, o respeito ao corpo é fundamental. Mas, acreditem!!, vou voltar ao meu ritmo e espero que isso não demore muito. O corpo tem memória! Sabe o que mais!? Talvez esteja fazendo tempestade num copo d'água. Talvez esteja exagerando! Tem gente que treina bem menos do que eu e já se considera atleta. Rs! Ah! Deixa pra lá essa estória de tempestade e de gente que treina menos. Cada um tem seus anseios esportivos.


Sei que acordei na hora em que tive vontade e saí pedalando por aí. Isso é que é massa! Depois de uma hora de treino, voltei pra casa, vesti meu biquini e fui à praia. Era domingo, gente! O sol estava muito lindo! O mar perfeito para ficar ali, contemplando, vendo as pessoas passarem, conversando com os amigos.


Por falar em amizade, hoje mesmo, um amigo ligou perguntando por onde eu ando que nunca mais me viu treinando. Êpa! Também não é assim!! Acho que a gente tá desencontrando. Pôxa! O cara tá treinando super tarde! Chega em casa depois das 22h. Eu tenho um monte de filhos pra criar. Não posso chegar em casa tão tarde. Mas... pensando bem.. vou abrir uma brecha e fazer treino de bike com a turma dele uma vez por semana. Vai ser bom pra mim. Eles pedalam forte, preciso de estímulo. Tem outros grupos que conheço que estão fazendo trilha no final de semana. Vou pedalar com a turma.


A planilha da semana chegou! Me aguardem! Vocês ainda vão ouvir falar de mim! RS! Ou eu vou falar de mim mesma! RS!

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Remo e corrida



Essas fotos me animam! Trazem à tona meus momentos de corrida. Aqueles que me permitem o tão desejado momento de relaxamento absoluto, de não pensar em nada... Que saudade de correr uma provinha! Saudade de ir pro mato!

Treino de bike abortado!

Apertei o soneca umas 3 vezes até, finalmente, levantar. Tem coisa mais fofa do que levar o filhote pra remar? Tiago foi remar comigo. Não, não! Deixe-me consertar! Ele pediu pra ir remar comigo. Lá, encontramos Gabi e Mauro.

O mar tava bem mexido! Também ventava muito! Quando a gente remava pro lado esquerdo, parecia que era treino de esteira. O barco não saía do lugar.

Tico leva jeito. Passou pro barco de Mauro. Penélopes num barco, meninos em outro. Apostamos corrida! Os meninos ganharam. Perdi pro meu filho. Mas, foi divertido!

De volta pra casa, dei pausa para me alimentar e saí pra correr 10km. Fiz em 57min. Achei até bom para quem não está tão em forma. Na maciota, saí do Condomínio para fora de Vilas, fui da Portaria 3 até a principal, entrei em Vilas novamente, passei na segunda portaria, e peguei a orla. Sempre controlando o batimento pra não exagerar na força, reduzindo nas subidas, economizando joelho nas descidas.

Por falar em Vilas, a coisa por aqui também tá perigosa. Ontem, enquanto pedalava, Lucy era assaltada em um local perto de mim. Levaram apenas o celular, ainda bem! Talvez, minha falta de vontade em sair pra treinar ontem à noite, tivesse alguma razão. Acabei indo e não aconteceu nada. Que bom! Mas, tenho sempre cuidado quando vou correr à noite. Muitas vezes, nem levo o relógio.

Mesmo com essas intercorrências, dá pra aproveitar o lugar onde moramos. Ainda tem qualidade de vida. O calçadão tava super movimentado, com muita gente indo à praia. Céu lindo! Maré vazando. Dia convidativo para um bom banho de mar. Comecei o dia muito bem!

Acho que agora vai dar pra recomeçar os treinos. Vou pegar minha nova planilha e seguir em frente. Preciso do esporte para me sentir mais forte. (rimou!)

Mais coragem Luciana!!



É preciso ter coragem mesmo! Que luta! O treino de pedal tava certo pra hoje. Eu e eu. Quando a gente combina com um amigo fica mais fácil. Então já se pode imaginar a enrolação que isso significa nos tempos preguiçais em que vivo. É dor de cabeça, é gripe, é coisa de casa pra resolver, é sono.

A chuva caía exatamente na hora em que o despertador tocou. Choveu, choveu, choveu. Tudo bem! Fui dormir mais um pouquinho.

Fui ao oftalmologista à tarde e dilatei a pupila. Quase nem consigo dirigir até em casa, trazendo o meu filho, também com a pupila dilatada, imaginem pedalar. Sorte que demoramos um pouco nos exames e o efeito estava mais suave na hora de sair do consultório.

Fiquei rindo de mim mesma. Vesti a roupa de ciclista pra não perder a vontade, que estava loooonge, e fui pegar minha pequena na escola. Voltei pra casa, fiquei enrolando.. ai.. ai. Jantei, calcei as luvas e as sapatilhas... Coloquei o capacete, tirei o capacete, coloquei o capacete, tirei o capacete. Ai.. ai.. ai!

Pensei em tudo pra não sair! Afinal, é assim que a gente se boicota nos treinos, na academia, nas tarefas. Me preocupei com o tempo, com as crianças, com o ladrão que poderia levar minha bike. Achei que poderia estar com pressentimento, deitei em minha cama, vi meus emails.

Depois de um tempo, levantei decidida. Peguei meu capacete e fui pedalar!

Que coisa boa! Aí é que penso que deveria ter saído antes. O sangue começa a circular na veia! A vida fica diferente! A energia volta!

Dei várias voltas em Vilas, encontrei vários amigos. Foram apenas 45minutos que me deixaram novinha em folha. Que bom que consegui sair! Depois de uns três treinos desse, fica mais fácil pegar o ritmo.

Amanhã vai ter pedal outra vez, alternado com uma corridinha e um remo. Depois conto como foi! Já estou começando a mobilizar uns e outros pra treinar.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Coragem Luciana!




Sem problemas em recomeçar! Tô repondo todas as fotos do Blog. Me divertindo com isso. Relendo tudo!


Vocês devem ter percebido que não tenho falado de treino. Estou meio parada mesmo. Treinando menos. Nada perto do que fazia antes de correr o Ecomotion de abril. Dei um tempo para descansar, depois, várias coisas aconteceram.


Na verdade, o Ecomotion foi um divisor de águas em muitas tomadas de decisão em minha vida. Planejei esvaziar a mente durante os dias em que ficaria fora do ar. Foi ótimo! Voltei da prova cheia de energia para mudar algumas coisas que não estavam me fazendo bem, principalmente, na profissão. Alterei meu horário de trabalho, aumentei tempo livre, estou mais disponível para as minhas crianças, melhorei a qualidade de vida, tenho mais tempo pra mim. Gente! Tenho até tempo pra fazer as unhas, sem ser no horário de almoço!


Também tinha planejado reduzir um pouco o ritmo de treino. O esporte que escolhi desgasta bastante. Faço 40anos nesse ano. Conheço várias excelentes atletas com mais de 40anos em Corrida de Aventura e quero continuar correndo por muito tempo ainda. Só que quero tudo com mais cuidado do que antes. Além do treinador, resolvi continuar o acompanhamento nutricional. Sinto-me ainda mais disposta e indico para qualquer pessoa.


No fim das contas, acabei perdendo o ritmo, mais do que esperava. Então a minha auto-estima não ficou num momento tão interessante. O batimento começou a subir na corrida. Sempre fui muito exigente comigo, me cobrava muito e treinava todos os dias, religiosamente. Claro que isso me fazia melhor atleta do que sou hoje. Agora, não me culpo tanto mas, sinto falta se não treinar. Meu corpo que cobra.


A equipe está toda parada. Todo mundo muito ocupado! Tanto as Penélopes, quanto os Aventureiros. Nem preciso dizer do esforço que faço pra carregar esse povo pra treinar. Mas, vejo que as coisas estão complicadas mesmo. Quando somos amigos de verdade, entendemos melhor. Embora tenhamos muita gente na equipe, coincidiu que todo mundo está com uma coisinha aqui, outra ali, que os impede de ter uma rotina de treino. Tem gente trocando de emprego, tem gente tocando um negócio, tem grávida, tem gente se mudando. O barco está lá na rua K, sem ninguém remar, faz duas semanas.


Fazer o quê?! Partir pra o treino já!


Coragem Luciana! Liguei para o meu treinador, Tadeu, pedindo para recomeçar. Abri mão da prova de agosto, o Desafio dos Sertões. Sinto muito mesmo! Não estou treinando o suficiente e preciso me sentir segura pra correr essas provas. São 130km. Ir pra não aguentar terminar, nem pensar.


Nessa semana, corri 5km na terça e 7km na quarta. Amanhã vou pedalar. Estou revendo meu planejamento de corridas do segundo semestre, revendo meus objetivos. Mesmo que mais moderada, sinto-me forte e resistente, e isso conta muito em Corrida de Aventura.


Vou continuar postando meus treinos pra animar todo mundo a se mexer. Pra dizer a verdade, não consigo ficar dois dias seguidos sem treinar. Sou viciada mesmo!


Sabe que fico animada em recomeçar?! Adoro recomeçar, repensar, repaginar. As mudanças fazem bem. Acredito nisso! Coragem Luciana!

domingo, 17 de julho de 2011

Desculpem a nossa falha!




Fiz algumas alterações no blog porque ele era moderado por Luciana Freitas Leal. Meu divórcio aconteceu há pouco mais de um ano e, de lá pra cá, fui fazendo as minhas mudanças de nome aos poucos. Respeitando o meu tempo e as necessidades principais, é claro! Ainda tem muita coisa pra mudar e pra resolver. Só pra se ter uma idéia da correria que é a nossa vida, eu e Xuxu (preciso parar de chamá-lo de Xuxu! Que coisa!) conseguimos encerrar a conta conjunta apenas nesse mês.


Resumindo a conversa, resolvi mudar o moderador que estava associado ao meu email do ig, que era com o meu nome da casada. Tinha um Leal bem grande e eu tava com uma vontade danada de fazer mais essa mudança, embora seja a Luciana de sempre.


Nunca consigo resumir conversa.. rs! Então vou contar tudinho!

Passei uma tarde lendo os termos de mudança de email para ver o que poderia perder com tudo isso. Consegui tranferir as fotos do Picasaweb, mudar o moderador do blog, mandar emails para todos os meus contatos. Quando percebi que nada seria alterado, apertei aquele botão "CANCELAR CONTA", sentindo um frio na barriga miserável. Parecia que tava adivinhando. Para a minha surpresa, todas as fotos do blog foram apagadas. Então veio outro frio na barriga! Tive tanto cuidado, tem tanta estória nesse blog. As fotos do Blog tem tanta estória.


Bom! Me dei conta que Luciana Freitas Leal não poderá mais existir, embora continue a mesma Luciana de sempre. (Vá entender uma coisa dessas!) Apenas as lembranças boas que esse nome me proporcionou e as experiências maravilhosas que foram acumuladas durante esses 13 anos. Lembro até que, quando montei o blog, pensava muito em escrever para ajudar as pessoas a superarem seus desafios diários. Naquela época estava super sofrida com o meu divórcio mas, encarava tudo como um ciclo da vida que se findava. Pensava: "Talvez eu ajude alguém com as minhas estórias malucas, com o meu jeito de encarar a vida!"


Respeito muito quem lê esse Blog e releio cada palavra que escrevo, antes de publicá-las, para não sair da minha verdade. Também tenho cuidado com as fotos. Quero tudo bonitinho pra ficar mais atrativo meus leitores (amigos) queridos.


Por conta disso, Luciana Santos Freitas, vai fazer uma releitura do Blog e recolocar todas as fotos de acordo com as coisas que queria dizer. Já comecei! Mas, isso vai levar tempo. Algumas fotos poderão ser iguais, outras não. Só vou ter que ir devagar, respeitando o meu tempo e disponibilidade. Como na foto acima, devagar e sempre.


Ótima semana para todos!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Calma gente!!

Na verdade, eu que tenho que ter calma, rs!
Fiz umas mudanças na configuração do blog que todas as fotos desapareceram. Ninguém merece! Sou um horror nesse negócio de internet! Mas, não se preocupem não. Vou resolver isso, nem que tenha que repor foto por foto. Paciência!
Tava até preparando umas postagens mas, perdi um tempo enorme com essas mudanças. Depois eu conto porque que elas aconteceram.
Volto logo!

terça-feira, 5 de julho de 2011

Vida de Penélope (Capítulo final)



Diante do aperto doméstico das semanas anteriores, pausa para descanso. Crianças para a casa da vovó, cachorro para o hotel, por favor! O trabalho durante a semana ficou mais "light", sem a preocupação em voltar correndo pra casa. E visitei os respectivos seres algumas vezes. Também aproveitei a minha solidão aliviada. Descansei, fui ao cinema, comi sushi.

Deu até pra programar o fim de semana com um bom passeio. Tipo: "Só nós três!"

Imbassaí é um lugar que, aqui pra nós, conheço profundamente. Os lugares mais inóspitos que alguém puder imaginar, estive por lá. O mato mesmo. Noite, dia, sei lá! Foram várias corridas por aquelas bandas mas, lembro que entrei na Vila uma única vez. Naquela pracinha perto da ponte.

Acho que decidi ir pra lá por causa do nome da Pousada: Bichelenga. RS! É a minha cara! Bichelenga. Parece o "palavriado" de algum parente meu. E tem coisa melhor do que ficar hospedado numa pousadinha básica, com um café da manhã bem gostoso, uma piscininha pras crianças se divertirem depois da praia. Melhor ainda é deixar o carro parado e ir à praia de bicicleta, tomar um sorvete no fim da tarde de bicicleta, ir a todos os lugares de bicicleta. Deu até pra fazer o meu treino do fim de semana. A Vila está uma gracinha! Super bem cuidada! Foi um belo passeio!

Ainda venci o desafio! Consegui ficar um mês em casa sem uma substituta para as férias da minha fucionária. Minha fiel escudeira voltou! E ninguém tem noção do quanto estou feliz! Tava exausta! Não aguentava mais esse tranco. Nunca mais eu faço uma "pataquada" dessas!

Definitivamente, não dá pra fazer tanta coisa ao mesmo tempo. A gente tem limitações de quantidade e qualidade em nossas atividades. Não dá pra abraçar o mundo. Nããão, por favor! Como eu pude achar que conseguiria?! Chega uma hora em que nada sai bem feito, tudo fica esculhambado. E digo mais: Esse é o limite de um ataque de stress. Mas, o primeiro passo é perceber essa limitação, administrar o que consegue e deixar rolar o que não dá pra resolver.

Quando Neusinha volta de férias é sempre uma festa! Chegamos cheios de bagagem na segunda-feira e ela estava esperando na porta, toda solícita, ajudando a carregar a bagagem. Que coisa boa! A vida sempre me presenteia com encontros felizes! E eu acredito nisso! Sempre tenho pessoas importantes por perto durante a minha caminhada. Pessoas com as quais posso contar. E Neusinha é uma dessas pessoas.

A felicidade está nas coisas mais simples da vida. Que custam muito menos do que a gente pode imaginar. A felicidade nem tem preço. Vamos aproveitar os nossos encontros felizes e esquecer os desencontros (Cá pra nós, suspeito que os desencontros façam parte da Providencia Divina). Podem rir! Sou romântica mesmo! Sempre acho que tudo vai ficar bem, mesmo que pareça horrível. Hoje mesmo fui fazer meu treino pela manhã e aproveitei para contemplar o mar. Que vida boa! O trabalho fluiu muito melhor! E nem precisei fazer o almoço.. rs! Neusinha estava lá!