Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2010

Adeus Ano Velho! Feliz Ano Novo!

Fim de ano! Tempo de renovar os pensamentos, as energias, a vida. Isso me lembrou uma música de Paulinho Moska. ... Meu amor O que você faria se só te restasse um dia? Se o mundo fosse acabar Me diz o que você faria Ia manter sua agenda De almoço, hora, apatia Ou esperar os seus amigos Na sua sala vazia Meu amor O que você faria se só te restasse um dia? Se o mundo fosse acabar Me diz o que você faria Corria prum shopping center Ou para uma academia Pra se esquecer que não dá tempo Pro tempo que já se perdia Meu amor O que você faria se só te restasse esse dia Se o mundo fosse acabar. Me diz, o que você faria Andava pelado na chuva Corria no meio da rua Entrava de roupa no mar Trepava sem camisinha Meu amor O que você faria? O que você faria? Abria a porta do hospício Trancava a da delegacia Dinamitava o meu carro Parava o tráfego e ria Meu amor O que você faria se só te restasse esse dia? Se o mundo fosse acabar Me diz o que você faria http://www.youtube.com/watch?v=9Gc_9zuNo

Treino Natalino

A família toda foi passar o Natal no mato! Metade nos Varões(a roça onde meus pais moram) e a outra metade ficou no Tabuleiro(a roça que minha avó tem). Já viram que não tem quase ninguém que não tenha vindo da roça nessa família!? Fiquei matutando como faria o meu treino solitário de bike, já que fui com todos os apetrechos e os ciclistas debandaram. Resolvi ir pedalando até a casa da vovó( são só 10km) para uma visita matinal. Acordei cedo, tomei um café bem gostoso e fui dar um até logo para a minha mãe que estava molhando as plantas no terreiro. Ela veio com uma conversa ponderada sobre os perigos que uma mocinha como eu corre, pedalando solitária pela estrada afora. Pedi então que listasse coisas que poderiam me fazer desistir da empreitada. Boi!? Bêbado!? Pneu furado!? Cachorro!? Aquela ladeira enorme!? Dei até logo para a mamãe e fui. O caminho foi bem tranquilo! O primeiro trecho tem ladeiras bem suaves, muita caixa de areia, cachorro manso, alguns bêbados discretos rem

Se vira nos trinta!

Coisas que uma Penélope precisa fazer no dia a dia: 1. Acordar cedo pra treinar; 2. Arrumar o café das crianças; 3. Levar filho na escola; 4. Trabalhar; 5. Pegar filho de volta; 6. Ver o que a funcionária vai fazer pro almoço; 7. Passar no mercado; 8. Almoçar e ver como estão as coisas e pessoas; 9. Levar a pequena na escola; 10. Ops! O grande tem inglês e judô; 11. Ôpa! A pequena já teve inglês e natação de manhã; 12. Trabalhar à tarde; 13. Passar na padaria na volta do trabalho; 14. Pegar filha na escola; 15. Escrever no blog; 16. Ir ao médico de vez em quando; 17. Levar as crianças ao médico; 18. Fazer faxina nas crianças(ouvidos, unhas, umbigos sujos, etc, etc, etc...); 19. Fazer as minhas unhas pra ficar "biita"; 20. Cabeleireiro uma vez na vida; 21. Olhar como a turma vai na escola; 22. Ir ao cinema ver alguma coisa de adulto de vez em quando; 23. Levar as crianças ao cinema no fim de semana; 24. Dar atenção aos amigos; 25. Levar às festas dos

Proposta Indecente

Um dia recebi uma proposta de um atleta de Corrida de Aventura que dizia mais ou menos assim: "-Quer ganhar uma Corrida de Aventura? Ficar em primeiro!? Saia dessa equipe (ele tava falando da Aventureiros do Agreste) e vamos montar uma equipe só com os mais fortes!" É claro que o objetivo era, prioritariamente, ganhar. E compreendo perfeitamente que pessoas competitivas de verdade pensam em ganhar de verdade. Sentimentos involuntários me fizeram refletir o sentido que a Corrida de Aventura representou pra mim durante todos esses anos. Sou uma pessoa competitiva! E disso todo mundo sabe! Mas acabo definindo a minha competitividade com um "só sou pilhada". Nunca ganhei um centavo sequer pra fazer o esporte que faço. Corro por satisfação pessoal, pra ampliar meus horizontes, pra conhecer lugares onde poucos conseguem ir. Corro porque amo estar com os meus amigos pelos matos afora, sem saber ao certo o que vou encontrar. Corro pela alegria de achar um PC. Pe

OH! OH! OH!

Desejamos que o Papai Noel mantenha todos os votos de prosperidade. Prosperidade no amor, no dinheiro, na saúde, na paz, na felicidade, na energia positiva. Que as nossas vidas sejam prósperas e felizes. Que nossos amigos amem e sejam amados. Que as crianças, todas as crianças, sejam iluminadas. Que a paz esteja em todos os lares e nas ruas também. Que a Energia Divina esteja sempre perto de nós. Que as intenções e as ações sejam sempre as melhores. Que possamos emanar energia positiva para os nossos amigos e não tão amigos com palavras, gestos e atitudes. Que nossos anjos da guarda guiem sempre nossos caminhos, seja trilha estradão ou mata fechada, afinal, tem horas na vida em que a gente precisa rasgar mato nos "peitos". FELIZ NATAL!

Sem comentários!

"Cada dia que vivo, mais me convenço de que o despedício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta de quem não se arrisca, e que, equivocando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável, o sofrimento é opcional" Carlos Drumond de Andrade

Dica de Corrida

   De todas as modalidades que eu gosto em Corrida de Aventura, a melhor é a corrida. Adoro correr! Tenho sensação de liberdade, de poder ir onde quiser. Levo meu par de tênis pra todas as viagens. Taí outra vantagem da corrida: um par de tênis e uma roupinha micro resolvem qualquer parada! Fica mais fácil do que viajar com uma bicicleta. Depois de fazer uma pequena pesquisa sobre o lugar, só pra saber se é muito perigoso (Se for pouco perigoso sou capaz de sair correndo mesmo assim), acordo cedo e saio pra conhecer tudo do meu jeito. Correndo.    Em Miami foi assim. Passei dez dias viajando com três amigas preguicites. Vou dizer o nome delas pra ver se tomam vergonha em suas respectivas caras e começam a malhar. Vanessa, Linda e Andréa. Enquanto as três caras de pau dormiam, eu saia do quarto bem cedinho, na ponta dos pés, pra correr. Dava voltas pela cidade, depois contava dos meus passeios e devaneios.    Mas queria falar de São Paulo. Fui passear

Primeiro pedal de Lulu Penélope do Agreste

   Depois das primeiras Corridas de Orientação ganhei de Xuxu um presente de grego! Uma bicicleta de ferro, daquelas de supermercado. Na verdade, ele ganhou no sorteio de fim de ano do trabalho e repassou o bagulho! Rs! Bom! As bicicletas da equipe(Aventureiros do Agreste) não eram lá essas coisas. Mas, diante das bicicletas usadas em Corrida de Aventura, aquela era bem “peba”! Não planejei usá-la em Corrida de Aventura e nem queria fazer Corrida de Aventura mesmo. Sem queixas, por favor, Luluzinha! Obrigada Xuxu!    Não sabia passar marcha de bicicleta, morria de medo de cair. Trilha nem pensar!    O pessoal da Aventureiros do Agreste, me convidava para pedalar no fim de semana e eu só enrolava. Dizia que não tinha com quem deixar as crianças ou dava outra desculpa esfarrapada. Meses depois, quando o repertório de desculpas acabou, comecei a prestar atenção na situação das pessoas que saiam da aula spinning na academia. Pensava que não agüentaria faz

Vamos comemorar!

   Vivaaaaaa! Nosso blog começou em maio de 2010. Na semana passada, já estávamos com mais de 1000 visualizações de páginas. Vocês sabem o que significa isso? Não sei muita coisa em números, afinal, deve haver tantos blogs na internet, com tanta gente participando. Mas, pra nós, isso é motivo de grande alegria! Imagine que nosso dia a dia é uma loucura com tantas atividades que a vida moderna nos impõe. E a pessoa ainda tem um tempinho pra dar uma olhadinha em nosso Blog. Isso é muito legal! É uma honra!    Tem gente de toda a parte lendo as nossas postagens. Brasil, Estados Unidos, Canadá, Croácia, Rússia, Espanha e Alemanha. Isso, por enquanto! Olhem que coisa chique! Foram 37 comentários nesse período.    E, só pra aumentar as possibilidades dos passageiros em nossas viagens, tem uma outra forma de participação. Você pode dizer o que achou da leitura marcando as lacunas no final do texto. Vou fuçar mais esse troço pra ver se me familiarizo mais com os recursos disponíveis.    O prin

Olha Lucy contando como começou!

Sempre gostei de esportes. Quando era pequenininha lá em Nova Iguaçu, minha ídola era a Nadia Komaneci (é assim que se escreve???). Mae, eu quero fazer aquele negócio que ela faz! É ballet? Meu pai explica: Não, filha aquilo lá se chama Ginástica Olímpica e não dá para você fazer. Aqui não tem onde treinar e mesmo que tivesse, seu pai nao tem dinheiro para pagar... Fiquei triste, mas naquela época eu entendia que quando não tem jeito, não há o que fazer... Aí me apaixonei pelo Jazz, pelo Volei, pelo basquete... Não me aprofundei em nada. Só experimentava e logo parava. O que mais gostei foi da fase jazz. Ali aprendi a ser flexivel. Eu fazia os passos daquele filme " Flashdance". Adorava aquele filme! Guardo a flexibilidade até hoje e isso me é muito útil, especialmente para pular cercas e evitar caimbras. Ah, eu tinha uma especialidade! Correr atrás do ônibus! Nessa ninguém me pegava! Eu era conhecida no meu bairro por cada dia chegar mais atrasada no ponto e aí ter que cor

Do mato vim, para o mato voltei!

Enquanto espero as meninas(Penélopes) escreverem como começaram em Corrida de Aventura, eu conto mais umas estórias pra vocês. Foi um verdadeiro redescobrimento naquela primeira Corrida de Orientação!! Me senti quase em casa! Nasci, praticamente, na roça. Passava parte das férias na casa da minha avó e outra parte na Fazenda dos meus pais. (Prefiro chamar de roça mesmo!) Não era fazenda. Ambas ficavam em beira de estrada. Plantava-se para comer. O leite da vaca era só pro uso da casa. Na casa da minha avó tinha dois pés de café, um de maracujá, lima, limão.. Tinha chiqueiro. As galinhas ficavam soltas a perambular. O burro só era usado para as necessidades da roça. E eu participava de tudo que qualquer pessoa pode imaginar que se faz na roça, desde os afazeres domésticos, que eram seguidos quase em forma de ritual, até a plantação de fumo e mandioca. A casa de farinha funcionava de quarta a sexta. Não perdia nada! Raspava mandioca direitinho, mexia farinha e ficava fuçando onde

Remo das Penélopes

Então fomos remar bem cedinho na rua K, em Itapuã. Eu, Lucy e Maíra. Os retardatários, Mauro, Gabi, Piriquita e Papagaio (são os filhos, viu!?), chegaram quando já estávamos no fim do treino. Saímos a remar pelo mundo afora. Maíra num caiaque simples. Lucy e eu no duplo. Conforme combinado, todas as Penélopes deveriam saber fazer leme. Hoje foi o treino de Lucy. Um treino bem engraçado, diga-se de passagem. Primeiro saímos em direção à África, dois segundos depois estávamos em direção ao Farol da Barra, daí resolvemos ir para terra, depois para o Farol de Itapuã. RS! E assim sucessivamente! Giramos, giramos e giramos! E, enquanto girávamos a cada direção, eu ficava gritando: "África! Aí vamos nós!" "Vamos para o farol da Barra!" "Terra à vista!" "Farol de Itapuã! Vamos até lá!" Maíra, coitada, se aproximou. Ou fomos nós que nos aproximamos dela?! Mas fiz questão de dizer que o mar era pequeno demais para nós, que ela não podia ficar se batend

Tudo começou com a Corrida de Orientação

Nem pensava em ser atleta! Lá em Catu, cidade onde eu nasci, não perdia nem batizado de boneca. Mas, nem sonhava em ser atleta. Vivia inventando arte. Tinha um curso de jazz, eu tava lá. Tinha aula de capoeira baratex, lá estava Luluzinha. Veio uma companhia de teatro.. também quero! Minha mãe se via doida! Em Catu nem tinha Academia de ginástica.. rs! Era tudo na escola. E na escola eu também fazia a farra! Participava de tudo! Só não dava pra ser baliza na banda de sete de setembro. Quem colocaria uma belezura dessa de perninhas finas pra ser baliza?? Mas, bem que eu queria fazer aquelas acrobacias na frente da banda. Na fase adulta vieram os filhos do meu casamento com Xuxu(não consegui mudar o apelido depois que nos separamos, rs!). Ao invés de engordar, emagreci e continuei fazendo academia de vez em quando. Olha! Eu não corria na esteira com medo de cair. Vi uma cena de queda de uma esteira de academia que nunca esqueci. A mulher se epatifou de um lado, o som voou pro outro e