domingo, 30 de janeiro de 2011

Agreste é pouco!


Hoje quero fazer uma homenagem pública ao homem que me mostra todo dia o que é ter coragem. São 75 anos hoje. Ele mora na roça. Nasceu lá! Mas teve que sair um tempo do seu habitat natural para criar os filhos numa cidade pequena. Deve ter se sentido um peixe fora d’água. Imagino o sacrifício que isso deve ter representado! Um homem rude, que estudou até a quarta série, ir morar na cidade com a sua esposa para poder criar os filhos.
Conceição arrumou logo um emprego pra ele! Cuidou de tudo! Arrumou a casa! Teve quatro filhos e administrou a vida de todo mundo.
Freitas é o homem do qual estou falando. Meu pai! Uma figura que voltou pra roça depois que se aposentou. A mesma roça de onde ele saiu. E Conceição, que o fez sair de lá, voltou com ele para compensar todos os sacrifícios pelos quais ele passou. E ninguém pode, nunca, de forma alguma, desmerecer os sacrifícios dela.
O gênio dele é forte! Muito forte! Aprendemos com ele a ter tolerância, paciência, compreensão, amor incondicional. Aprendemos a ter coragem de viver!
E só pra dar uma idéia da coragem da pessoa vou lhes contar uma das milhares de estórias que me fazem pensar isso...
Ele foi tomar uma pinga. Ao chegar na venda (É como se chama boteco lá na roça) de Lôro, pediu a pinga e foi sentar-se numa cadeira de ferro, daquelas de praia de abrir e fechar. Quando se sentou, a cadeira encaixou melhor, só que o dedo dele estava dentro das engrenagens. Então a cadeira deixou o seu dedinho pendurado. Decepou parcialmente o dedo do rapaz.
Quando percebeu o sangue escorrendo, resolveu ir embora com o sangue escorrendo mesmo. Andando, foi encontrar a Conceição que tem atitude pra tudo e não deixa a peteca cair. Andou 800m até em casa. Já chegou chamando o vaqueiro e pediu que ele pegasse um facão para tirar o resto do dedo que estava pendurado.
Imaginem que situação! Que coragem! Pense na Agrestia da pessoa!
Mas a minha mãe interferiu, impedindo que a doidice acontecesse. Resolveram então ir até o hospital na cidade e foram atendidos por um médico que colocou o dedo da pessoa agreste no lugar, suturou tudinho e o fez ficar de molho(internado) por dois dias.
Freitas só conseguiu ficar sem trabalhar na roça, capinar, fazer cerca, dar comida ao bichos e plantar por uma semana. Depois disso ele estava com uma luva bem grossa fazendo arte no fundo da fazenda, já querendo ganhar o mundo outra vez. Como um menino levado que não consegue ficar parado! Um menino corajoso e forte de 75 anos!

sábado, 29 de janeiro de 2011

Penélopes e Aventureiros







As meninas são Penélopes e os meninos são Aventureiros. As meninas também são Aventureiras! Somos todos parentes! Todos irmãos! Todos do Agreste. E a melhor parte do fato de estarmos juntos nem é a Corrida de Aventura. É o fato de nos divertirmos quando estamos juntos! São as risadas que damos quando a coisa fica preta ou colorida. Somos mesmo uma família!

E os treinos são uma delícia! Gosto muito mais de treinar do que das provas propriamente ditas. Embora as Corridas me dêem uma satisfação diferente que dispensem comparações.

Hoje fomos pedalar em Abrantes e circunjacências(Deus do céu! Será que essa palavra existe mesmo?). Saímos da minha casa para a trilha. Todos limpinhos e paramentados para a trilha com uma chuvinha. E trilha depois de uma chuva fica ótima! Muita lama no caminho. As roupas ficam imprestáveis!

O treino foi maravilhoso! A mata tava bem verdinha e cheirosa! Curtimos muito! A turma foi boa!

Gabi tava com a roda presa, literalmente falando. E pensou que a perna estava ardendo por causa da falta de preparo.

Paramos em Seu Ronie pra beber água de côco. Mas fomos logo embora para não esfriar o café da manhã que Neusinha fez com tanto carinho!

Comemoramos o começo do ano, a vida, as reflexões e as metas! As metas coletivas! Os pactos de amizade firmados com um sorriso de cumplicidade. Reunimos pra definir de quais brincadeiras vamos participar! Qual o brinquedo pode ser mais divertido.

Na verdade ninguém liga para as metas do ano. Depois a gente resolve isso! Tá todo mundo querendo comer o omelete, o pão quente, o cuscuz de tapioca, jogar conversa fora e voltar pra casa pra resolver as pendências do dia a dia que ficam pro sábado.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Reflexões para 2011



O que vamos fazer em 2011? Quais são mesmo as metas em relação ao esporte!? Ou aos esportes? Todo começo de ano nosso treinador pede uma relação das provas que queremos fazer e quais os nossos objetivos.

Que tal duas Corridas de Aventura fora do estado? Uma no sudeste, outra pelo nordeste mesmo. Corrida de Orientação também é uma ótima idéia! Não demanda muito tempo e ainda é baratinha. As maratonas de Mountain Bike são super atraentes! Dá pra viajar para o local da prova no dia mesmo e geralmente duram umas quatro horas, no máximo, dependendo da distância. Corrida de rua também é uma boa pedida!

Vamos ver como vai ser. Cada um tem os seus objetivos e as suas prioridades de vida. Pode ser que vocês entrem no blog o ano todo e só vejam as aventuras da Penélope Luciana. Não sei! Mas tá rolando uma reavaliação interna de intenções e objetivos. Coisas de começo de ano que todos nós devemos fazer, seja no esporte, na vida pessoal, na área financeira, no relacionamento.

Temos que traçar os nossos objetivos, estabelecer as metas e manter o foco até o fim do ano.

Como sabemos, a vida não é só Corrida de Aventura e não ganhamos dinheiro para fazer isso. Não é o nosso trabalho, embora eu pense que precisamos trabalhar para termos dinheiro para fazermos o que gostamos. Para termos qualidade de vida. E qualidade de vida inclui um trabalho que nos dê prazer e não nos consuma a ponto de reduzir demais o seu tempo de lazer.

A gente precisa, além de fazer um esporte, de ir ao cinema, dar atenção aos amigos, cuidar dos filhos, sair pra namorar, passear.

São tantas reflexões! E depois de uma corrida sem o resultado esperado é que vem as reflexões mais profundas. O resultado da Carrasco me deixou reflexiva. E isso é ótimo! Não precisamos de livros de auto-ajuda para saber que as melhores idéias, notícias, atitudes e mudanças aparecem depois da crise. Nada como uma crise para lhe fazer refletir profundamente que diabos você anda fazendo com a sua vida.

Pra dizer a verdade, verdadeira, eu sou uma criatura das mais reflexivas. Reflito o diálogo com a balconista da padaria para entender o que ela pensou de mim naquele momento. Se eu passei uma imagem legal ou não de mim. Se fui gentil, educada, ou não!

Então viva a reflexão! Vamos planejar!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Voltamos quase inteiros!

Melhor olhar a paisagem pra relaxar!

Ainda bem que anjo da guarda existe e eu já tinha convocado todos os deuses antes de ir pra Carrasco.

Já estava previsto que não teríamos um desempenho dos melhores. Só queríamos concluir e qualquer resultado dali pra frente seria massa! Só que não contamos com aquela tal de Lei de Murphy. Aquela que diz que nada pode ser tão ruim que não possa piorar, sabe?! Pois é! A coisa pôde ser pior do que esperamos. E foi!

Eu e Claudio fizemos uma ótima viagem até Milagres, cidade de largada da prova. Lucy, Marcelo, Scavuzzi e Mauro já passaram por um pequeno incidente na estrada, quando um carro quase esmagou a bicicleta de Scavuzzi que estava presa na mala do carro.

Fizemos a parte burocrática da prova e fomos até a pousada que conseguimos na beira da estrada. O detalhe é que os quartos que reservamos estavam ocupados e, depois de muita conversa, o recepcionista atordoado conseguiu outros quartos pra nós. Só que sem ar, frigobar e nem TV. Imaginem se a gente estava se preocupando com isso! Foi ótimo! Lá estava tão frio! E mais barato!

Resolvemos então acordar cedo pra tomar um banho antes da largada. Pegamos as bicicletas e descemos o ladeirão de 3km da estrada que nos separava do centro de Milagres, onde seria a largada às 5:30h. Meu Deus!!! Vocês já conseguem imaginar o que aconteceu? Um descidão bala!!! Passei pelo desnível de asfalto e, logo depois, ouvi um barulho de queda. Pois é! Claudio tomou uma queda feia, se machucou todo e empenou o pneu da bicicleta faltando 15minutos da largada. E foi a maior sorte não ter sido pior! No mesmo momento passava um caminhão enorme ao lado dele.

Ai gente! A equipe é tão tranquila que resolvemos tudo sem muito alarde. Fui buscar ajuda enquanto os meninos socorriam Claudio. Já na largada, fiquei procurando um mecânico de bike ou uma bicicleta extra. Encontrei as duas coisas. O mecânico desempenou a bicicleta do jeito que pôde e a Insanos conseguiu uma bicicleta reserva pra nós. Claudio decidiu largar com a bike dele mesmo! E ficamos com a bicicleta de Daniel para o caso de urgência.

Fizemos os 54km de bike juntos, mesmo sabendo que podíamos nos separar até relargar no fim do trecho. Fizemos tudo devagar e tivemos a sorte de só ter três pneus furados. Teve gente que furou pneu oito vezes!

Mesmo depois de tudo, ainda fizemos 26horas de prova. Paramos no PC12. Foi o mais longe que pudemos levar Claudio e o mais longe que ele conseguiu ir, que já sentia dores de cabeça, no corpo e mal estar.

Mesmo sofrendo, pois não há como não sofrer, nos divertimos muito! Fizemos hora com a cara de Claudio. Marcelo já estava se sentindo mais magro de tanto suar. Scavuzzi zoava comigo, dizendo que eu tinha que mais macho porque estava carregando o Duck muito devagar. E nós chupamos umbu pelo caminho inteiro, incuindo nas paradinhas pra descansar!

Fazendo um apanhado geral, podemos considerar que fizemos uma prova horrorosa! Mas, sinceramente, ainda acho que poderia ter sido pior. Tivemos sorte por não ter sido pior! E fomos persistentes até o último minuto. Nem pensamos em não largar!

Já viram!? Nem tudo são flores! E ainda bem que as dificuldades existem pra gente refletir, aprender e seguir em frente! Essa não foi a nossa última corrida, podem ter certeza! Dias melhores virão!

OBS: O release completo será feito por Marcelo. Acho que no final da semana estará disponível no blog da Aventureiros do Agreste.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Tudo pronto pra Carrasco



Quem treinou, treinou! Quem não treinou, não adianta mais!

Serão mais ou menos 240km de adrenalina de alta qualidade. A gente vai pedalar, nadar, correr, remar, subir montanhas e fazer rappel. A previsão é de mais de 30 horas de prova.

O kit de primeiros socorros está OK! Os meus equipamentos estão prontos! Os meninos estão se virando no que falta. Agora é chegar sexta-feira pra ir até Milagres, onde será a checagem de equipamentos e documentos e, no outro dia, a largada.

Vem equipes do Brasil todo pra correr essa prova! Ainda vai ter uma Maratona de Mountain Bike na largada, junto com a galera da Corrida de Aventura. Ou seja, quem não quiser se lenhar nos 240km, pode se lenhar só em 53km de bike.

A organização da prova vai transmitir tudo online.

Quer saber mais da programação? Acesse o site www.caatingatrekkers.com.br/carrasco

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Primeiro Treino de Remo



Uma semana antes da prova, rs, todo mundo fica animado!

Pra falar a verdade, eu AMO quando consigo movimentar essa turma! Eu ADORO treinar com a equipe! A gente se diverte muito!

Vamos remar em corredeiras na Carrasco! Então fomos pra Rua K fazer nosso primeiro e último treino de remo antes da prova! Só rindo mesmo! E rimos muito! Eu, Marcelo, Scavuzzi e Claudio enchemos um duck (é um bote inflável para duas pessoas) furado! Uma dupla remou no duck e outra em nosso caiaque duplo. Teve gente que foi apresentado ao duck nesse treino. RS! Lucy também nos acompanhou num caiaque simples e remou muito! Os meninos até propuseram que ela substituísse alguém na equipe ao invés de ficar no apoio. Fizemos um revezamento com as embarcações para ver a melhor composição das duplas, tivemos que ir até a beira pra encher o duck e também fizemos várias reuniões estratégicas (leia-se para descansar) no meio do mar.

Por falar em mar! O mar estava um tapete! Lindo, calmo, limpo e convidativo para um banho! Mas a gente nem pôde tomar banho. Fomos pedalar logo depois. Dessa vez na companhia do nosso amigo Fred, que ajudou a puxar o treino. RS! E isso foi ótimo pra gente!

Seja o que Deus quiser! Vamos pra Carrasco!

YES! NÓS VAMOS PRA CARRASCO!

   É isso mesmo! Vamos para a Carrasco! Mas não são todas as Penélopes não! Nem vamos com a nossa equipe feminina porque, conforme combinado, as Penélopes só participam de provas que a Aventureiros do Agreste não pontua. Ou seja, nada de correr na Bahia!
   Depois de todas as festas e de um tempo sem se falar de provas. Os encontros só aconteceram para confraternização. E só quem tava treinando era "euzinha", pelo menos para manter, e só para manter. Acho muito chique dizer: "Estou fazendo treino de manutenção!" E vou dizer mais! Tava correndo duas vezes na semana e pedalando duas também. Sentindo-me com a auto estima esportiva em baixa! Rs! Pois é! Estou voltando!
   Daí veio a velha história de quem vai correr a Carrasco. (???) Ficamos no maior dilema! A Aventureiros do Agreste, juntando com nós Penélopes, é uma das maiores equipes de Corrida de Aventura da Bahia. Tem gente pra caramba! Mas na hora de correr é um Deus nos acuda! Tem gente com filho pequeno, gente com joelho bichado, o outro tá todo entrevado da coluna, as meninas estão atarefadas! Não sei não viu!
   Massss! Conseguimos formar uma Equipe Aventureiros do Agreste no apagar das luzes das inscrições.
   Olha só o time! Eu Pessoa Normal Penélope Cheia de Filhos Pendurados do Agreste Mais um Cachorro, Marcelo Gorduchildo Com Dois Filhos Quase Gêmeos do Agreste, Scavuzzi Agreste Cheio de Filhos Joelho Bichado do Agreste  e Claudio das Caimbronas de Treino de Um Mês do Agreste.  
   Mauro Entrevado da Coluna do Agreste, Gabriella Pilha Toda Penélope do Agreste e Lucy Maluquete Penélope do Agreste estarão em nosso apoio. 
   Louvado seja o Nosso Senhor Jesus Cristo! Convocamos publicamente nossos Anjos da Guarda! E seja o que Deus quiser!
   Sim! Vamos para a Carrasco!

Ficha técnica da prova:
MODALIDADE
DESNÍVEL
(METROS)
CARACTERÍSTICAS DO TRECHO
NA ÁREA DE TRANSIÇÃO
PERÍODO
BIKE – XCM
– 300 –
53 km – demarcados – sem flâmula de líder
com apoio
DIA
DUCK
– 50 –
23 km – boa navegação – pequenas corredeiras - FLC 
com apoio
DIA
TREKKING
– 200 –
22 km – navegação – montanhismo moderado – FLC
com apoio
DIA
BIKE– MTB
– 60 –
45 km – navegação – com flâmulas de líder – FLC
com apoio
NOITE
DUCK
– 20 –
25 km – muita adrenalina – pequenas corredeiras – FLC
com apoio
NOITE
NATAÇÃO
– 0 –
200 metros – travessia a nado
sem apoio
NOITE
TREKKING
– 600 –
20 km – navegação fina – montanhismo forte – FLC
sem apoio
NOITE
BIKE – MTB
– 60 –
37 km – boa navegação – com flâmulas de líder – FLC
com apoio
DIA
VERTICAL       
– 200 –
1.2 km – demarcado – sem flâmula – tempo parado
com apoio
DIA
TREKKING
– 40 –
3 km – navegação – sem flâmula - CHEGADA
sem apoio
DIA


www.caatingatrekkers.com.br/carrasco

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Treino em Vilas

Acho que essa série de dicas de lugar para treinar não vai acabar nunca!
Outro lugar bom de correr é Vilas do Atlântico! Eu corro e pedalo tanto por essas bandas que já tenho idéia de quilometragem pra todo lado que se vai. Quer correr quanto?? Consigo até dizer por onde a pessoa deve ir.

Em Vilas dá pra correr a qualquer hora. Parece seguro até para uma corridinha solitária e reflexiva!

De manhã é uma beleza! O trânsito de carros é mínimo. Tem uma porrada de Clubes de Corrida que montam suas tendas na rua ao lado do Vilas Tênis Clube, que movimenta a área com corredores. O clima fica bem bacana!

Se preferir ver o mar, o calçadão está lá à sua disposição! A brisa do mar, o balanço dos coqueiros, o barulho das ondas são acolhedores. Dá até pra dar um mergulho no meio do caminho, como faz a Penélope Lucy quando está cansada. A criatura cai na água de roupa e tudo! Só dá tempo de tirar o tênis.

Também já fiz treino no horário de almoço, com o sol queimando as pestanas. Chego em casa com a cara toda vermelha! Pode ser bom pra quem não tem outra hora!

E à noite também é bem legal! Tem os Clubes de Corrida no mesmo lugar. E fica igualmente movimentado! Só não recomendo correr no calçadão porque não parece seguro nesse horário.

Bons treinos então! Qualquer coisa é só perguntar!

domingo, 9 de janeiro de 2011

Tarde de Penélope em Itapuã

O treino de remo, e quase todos os outros, geralmente acontecem pelas manhãs. Excepcionalmente, fomos fazer um treino no fim da tarde.

Não precisa ser atleta pra poder remar! Na rua K, em Itapuã, tem um cara chamado Reizinho, que aluga caiaques a R$ 15,00 por hora. Além do caiaque, estão incluídos os remos e os coletes. Há caiaques duplos e simples e ele fica lá o dia todo. Se a pessoa tiver um caiaque também pode deixar lá e pagar um aluguel do espaço, como é o nosso caso.
Já de tardezinha, fizemos primeiro o remo de uma hora. Já estou ficando bem desinibida no leme! Como já disse, fazer leme não é muito fácil no começo. Acredito na fase de habilidade consciente, que antecede a inconsciente. Primeiro você faz o leme pensando o tempo todo no que está fazendo. Se desconcentrar dá merda! Depois de algum tempo de treino, você já consegue fazer o leme sem perceber. Mas a transição de uma fase para outra pode demorar, dependendo da pessoa. Eu, por exemplo, que gosto de conversar pra caramba, me desconcentrava muito e fazia um zigue-zangue danado! Hoje em dia, posso até começar meio perdida, mas acerto rapidinho e posso fazer o que mais gosto quando estou treinando: conversar.

Depois do treino de remo, jogamos uma água nos pés e calçamos os tênis para 9km de corrida. Esse treino era parecido com o outro: com hora pra acabar. Meus treinos agora são baseados em tempo. É claro que continuo fazendo os treinos fortes e os mais fracos. Mas agora a contagem é no tempo e não tanto no frequencímetro. Posso dizer que esse foi mais tranqüilo do que o de 12 km do dique. Foi um treino SUB, sobrando fôlego. Deu pra tagarelar um pouco!

Daí a gente aproveitou pra ver fim da tarde em Itapuã, que é lindo mesmo! Eu e Vinícius de Moraes indicamos!

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Corrida no Dique



Depois de passar um mês de férias, só fazendo treino de manutenção, voltei para a planilha. Muito aliviada em voltar a fazer meus treinos com planilha! Faço tudo mesmo! Sinto-me na obrigação de dar retorno ao treinador! Sem planilha, tenho sensação de que ninguém vai ligar se eu não treinar.

Resolvi fazer o meu primeiro treino "planilhado" num lugar diferente para variar um pouco, mudar de ares, ter sensações diferentes. Saí do trabalho e fui direto pro Dique do Tororó, ponto turístico de Salvador, correr meus 12 km.

É engraçado trocar de roupa no estacionamento, dentro do carro. Negocinho complicado, mas, me saí bem! Afinal, em Corrida de Aventura a gente faz tanta maluquice que isso é uma bobagem!

No momento do alongamento, vi turistas tirando fotos da obra do Estádio da Fonte Nova, onde tem uma placa luminosa bem grande dizendo quantos dias faltam para a Copa do Mundo. Pensei que nunca teria a sensibilidade de tirar uma foto dessas, de uma obra com uma placa na frente. Mas, sem dúvida, é uma foto histórica!

O dique tem área de alongamento, brinquedos para crianças, aparelhos de musculação ao ar livre. Tem banquinhos para namorar ou para descansar. Tem barracas de água de côco e restaurante também. Rola aluguel de caiaque. O lago é sujo, mas é bonito de ver! Tem aqueles orixás que os turistas gostam de fotografar.

A corrida foi meio sofrida para mim. Tinha um tempo estipulado para fazer os 12 km. Fiz um planejamento de cabeça, calculei quantas voltas daria para completar o percurso e mandei ver. A primeira volta foi a melhor e poderia ter sido a última! Aliás! Mais uma era o suficiente! Depois disso comecei a ficar entediada. Eram quatro voltas mais um trecho de 1600m. O cheiro de monóxido de carbono começou a me sufocar um pouco, já que eu comecei a ficar um pouco ofegante. Todo o percurso é feito beirando a pista de carros, o barulho dos motores não agradou. Era hora de muito movimento. Pra completar, meu tênis, que nunca me machucou, me fez uma bolha enorme no dedinho logo na primeira volta. Talvez pela irregularidade da pista, mas tô acostumada a correr em mato. Mais irregular do que trilha, não há.

Resumindo... Se a pessoa mora por ali e não tiver como chegar até a orla para dar uma corridinha, vale à pena dar umas duas voltas. Mais do que isso é respirar tanta fumaça que a corrida vai ser um procedimento de intoxicação pelos gases emitidos pelos carros. Possivelmente, pela manhã deve ser mais agradável! Eu, particularmente, não tive aquela sensação de que vou repetir a dose algum dia.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Primeiro Dia do Ano



Nada mais saudável do que começar o ano pedalando 30km numa trilha bem bacana! Melhor ainda em companhia de gente querida. Tudo isso lá na roça, é claro!
Eu e meu terapeuta, ops! desculpe!, meu cunhado, fizemos a trilha do ladeirão. Mas é outro ladeirão. Não é o que eu subi pra ir até a casa da minha avó, no Tabuleiro. Essa trilha da qual estou falando é um pouco mais longa. Começa no estradão pela direita dos Varões, com umas ladeiras bem interessantes. Passa na "venda" de Zequinha, em Porfírio também, depois vira à direita para passar em frente à venda de João. Só figuras históricas e conhecidas por aquelas bandas! Depois de João tem uma estrada de cascalho e chega numa descida que, de tão íngreme, parece um paredão. Só desço gritando, aaaaaaahhhhhhhh! É bom que extravasa todas as energias negativas e, provavelmente, as positivas também. De lá a gente pega um retão só com subidas e descidas muito gostoso que parece um tobogã. Então chega o trecho de asfalto.

Nem preciso falar que a natureza é privilegiada nessa região. O verde é bem verde, o gado é gordinho e parece um monte de formiguinhas brancas olhando de longe.

Meu cunhado finalmente tomou vergonha na cara e resolveu treinar um pouco no meio da semana. Isso melhorou o nosso desempenho. Mesmo assim fizemos três paradas básicas para descansar, conversar (leia-se fazer terapia) e "roubar" caju. Essa época tem muito caju, inclusive lá na roça! Faz lama de caju na beira da estrada!

No asfalto o desempenho é facilitado. Mas logo chega o trecho do ladeirão. Nossa! O ladeirão é irado! Você pensa que vai acabar depois da curva, aí vem outra curva. E você pensa que vai acabar na próxima curva e, pimba! Tem outra e mais outra. E são 1500m de subida. Sempre marco o tempo para bater o meu recorde. Aquela ladeira era meu desafio para quando eu tivesse uma bicicleta. E, quando ganhei a minha bicicleta, fui lá e subi tudinho em 14 minutos. Hoje estou em 9 minutos e quero diminuir esse tempo. Sei que não estou com essa bola toda! Já estive bem melhor! Mas o meu consolo é o meu cunhado. Sempre tenho que ficar lá em cima esperando por uns minutos até ele aparecer. RS! Mas o bichinho tá ficando retado!! Treinando mesmo! Exceto por essa ladeira, quem esperou um pouco (pouquinho!) foi ele. E quando a figura ficava na frente ficava olhando pra trás com ar de provocação.

Bom! Depois desse ladeirão tem uma descida para compensar. Mas é uma descida braba! Daquelas que se a pessoa triscar no freio errado capota ou sai pela tangente. Chegamos a mais de 50km/h nesse trecho.

De lá até os Varões tem mata burros, porteiras, areial e vista linda. Ainda encontramos uns parentes no meio do caminho, bebemos uma água ultra gelada, finamente chegamos em casa direto para o pé de lima para aquela reflexão gostosa de primeiro dia do ano.