quarta-feira, 7 de maio de 2014

Minha primeira maratona- Resenha de treino

   
   Estou numa animação tão grande que até postagem de 'treino do dia' no Facebook tá rolando. Rs! Acho uma viagem quem vive postando treino no Facebook, rs! O povo deve estar me achando um saco! 
   A planilha está mais volumosa a cada dia! Semana passada foram dois treinos de 16km e dois de 18km. É dificílimo cumprir o treino todo! Tenho um filho aqui, outro acolá, três enteados dois dias na semana, marido, casa, curso de especialização comendo no centro com TCC, Projeto Aplicativo, Portfólio... Só treinando pra relaxar. 
   Estou testando tudo o que vocês puderem imaginar para, quando chegar o dia da prova, usar os equipamentos certos. Sou caloura em maratonas... Isso me lembrou a primeira prova de mais de 500km que fiz. Foram meses de preparo. Mas, essas provas envolvem muitas modalidades. As dificuldades são  diferentes.
   Nos treinos longos dá pra fazer mil reflexões...
   Semana passada saí para fazer 16km. Ainda pouco pra quem vai correr 42km. Mas, eu estava tão dolorida que aqueles dezesseis seriam um desafio. Aliás, nem lembro de sentir tantas dores depois de treino. Tenho a leve sensação de que a idade está chegando, rs! 
   Mochila nas costas com um litro de água, meias de compressão nas canelas, roupa fresquinha para o sol do meio da manhã, protetor solar na cara descarada, uma bananinha e um celular com aquele tal de Endomondo ligado. Meu subconsciente sabia que estava indo fazer 16km, eu não tinha essa certeza. 
   Comecei com as pernas tão pesadas. Achei que eram as meias de compressão... Nunca gostei muito de usar meias de compressão, exceto para provas a partir de 100km. Mesmo nas mais longas, elas podem ser trambolho, caso você se rete no meio da prova e resolva tirá-las. Dá um trabalhão para sair. Ainda não sei se vão servir pra mim.
   Pelo peso das minhas pernas, cinco quilômetros estava bom demais. Sério! Comecei com uma volta que daria esse tanto de treino. Desci em direção à rua paralela praia, corri até o fim, uma voz feminina avisou que estava no km 3. Oxente! Esse Endomondo sabe falar! Que legal! Dali resolvi ir um pouco mais longe, apesar das pernas pesadas. Parecia que estava correndo com duas caneleiras de malhação. 
   Pensei: "Vou fazer 6km, então." 
   Acabo lembrando de muitos amigos no caminho. A primeira foi Linda, minha amiga de infância. Não tem como não lembrar de uma amiga que diz que você larga tudo e sai por aí, correndo e pedalando, rs! Pois é! Saí de casa dizendo que não sabia se voltava em uma ou duas horas e, caso demorasse, fossem me procurar.
   Subi a ladeira para segunda portaria de Vilas pensando em correr pra casa e fechar os seis. Só que passei por uma moça que me deu um bom dia tão legal que voltei quando a voz do meu celular avisou 5km. Comecei a curtir aquele negócio. Bom! Como já tinha feito 5km, se voltasse pra casa pelo mesmo caminho, fecharia 10km. Pra quem tá acabada, vai ser um treino legal. 
   Então, minha gente, fiz o retorno... Só que, quando cheguei ali na frente da entrada da Barraca Buraco da Velha, resolvi virar à direita, ir até o fim da rua, ir até a praia pelo calçadão de Vilas pra voltar pra casa. Além de aproveitar a vista pro mar, aumentaria meu treino. Coisa boa!
   Nessa hora, lembrei de todas as minhas amigas Andréas que acham que consigo fazer tudo nessa vida. Não sei quando minhas pernas pararam de doer. Aquele aplicativo estava me ajudando muito, porque não precisava fazer conta. Comecei a perceber que podia ir mais um pouco. Na verdade, sei que consigo mas, estava com receio de lesionar antes da prova. Nem quero pensar nisso!
   Segui até o fim do calçadão e fui pela rua de Buraquinho. Legal! Subi em direção à Estrada do Côco e entrei à esquerda lá em cima na rotatória. Tinha passado de 11km. Pensava que, caso fosse pra casa, o treino estaria quaaase fechado. Mas, tava tão divertido ouvir aquela mulher falar os quilômetros, que já tinha certeza de que terminaria o treino. Por isso, desci até a rua do meu cunhado, depois virei à esquerda para passar por dentro do Condomínio de Ytana, saí do outro lado, perto da praia de novo e subi pra casa. Rsrs!  Não me dando por satisfeita, percebi que, caso fosse pra casa, perderia 300metros. Por isso, corri mais um pouquinho pra não perder nada, rs! 
   Lavada de suor até a alma, cheguei em casa com um sentimento de vitória incrível! Meu tempo não foi dos melhores: 1h46m. Já aconteceram treinos até mais longos por esses dias, incluindo um de 20km, que não tiveram o mesmo significado. As pernas não doeram depois do treino. Que alívio! Além disso, treinar meu psicológico durante esse período pode ser tão importante quanto o físico. A certeza de prova concluída, só no dia 24 de maio, no RUNNING DAVENTURA, ao cruzar a linha de chegada.
   

2 comentários:

joao disse...

Lulú Inoxidável Brocadora, a única dificuldade nessa maratona é que vc não vai ter ninguém para ficar tagalerando..... boa sorte

Luciana disse...

João, figura!! Tomara que eu consiga mesmo, rsrs! Aí vai ter uma resenha linda!