quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Penélope Quarentona

   A idéia não foi de Mauro! Dessa vez, ele não teve nada a ver com isso!
   Queria comemorar meus quarenta anos em grande estilo! De preferência, sentindo-me jovem (Detalhe: sinto-me jovem!). Seriam duas farras. A primeira com bolo, brigadeiro e pãozinho para o dia 25 de outubro não passar 'batido'. A outra seria o "grande baile", o "regabofe" da roça, com direito a dormida, pedalada e caruru. Como aconteceu no ano passado, reunindo amigos de várias fases da minha vida.
   A idéia 'brilhante' foi minha! Aluguei uma cama elástica para a brincadeira do dia 25 ficar mais emocionante. No fim das contas, poucos amigos estavam disponíveis em plena terça-feira, pois fui avisando em cima da hora mesmo. Quem ligava pra dar os parabéns, era convidado para comparecer à noite.
   As crianças estavam numa farra só! Mariana, filha da minha amiga Ytana, só queria entrar comigo na cama elástica, rs! Eu era uma palhaça na cama elástica! Jogava as pernas pro ar, pulava alto, ria, gritava... Uma verdadeira farra!
   Depois de um brinde, no meio da bricadeira, convidei mais adultos pra pular comigo. Só Mauro e Fred se animaram. Mauro é enorme e cada salto seu fazia a gente voar. Num desses movimentos, torci o tornozelo e não deu para levantar. Nem consegui sair da cama elástica sem ajuda. Fiquei paralisada de dor. O pé começou a inchar de imediato..
   Que situação! Já fiz tanta coisa doida nessa vida! Subi em morro de mais de 2000m de altitude, escalei pedras vendo a cachoeira descendo ao meu lado, pedalei 300mil vezes à noite, atravessei rios de madrugada, nadei em lagos congelantes, perdi noites dentro de mangue sem achar o caminho pra ir embora. Tenho 3 provas de mais de 500km nas costas, todas feitas em cinco dias, dormindo no chão, no meio da estrada, em praças, tomando banho em rio pra tirar metade do "budum". Foram incontáveis riscos iminentes e, chego numa inocente cama elástica, me machuco. Qualquer um pode imaginar o tamanho da minha angústia! Como cuidaria da minha vida e dos meus filhos?!
   Continuando a estória..
   As crianças ficaram muito preocupadas, inclusive e, principalmente, as minhas. Elas me olhavam com aquela cara de 'E agora? O que será de nós sem a mamãe para dar conta de tudo!?'. Tentei não chorar mas, não deu não! A dor me fez até sentir enjoo. Em algum momento, tive vontade de dormir para ver se a coisa ficava mais amena.
   No momento complicado ficou todo mundo meio embaratinado. A dúvida estava entre ir logo à emergência ortopédica ou colocar gelo pra resolver no dia seguinte. Mauroba Magaiver do Agreste encontrou um papelão para improvisar uma tala. Improviso é com ele mesmo! Gabi, Ytana e Catarina ficaram no apoio moral. Lucy e Tiago foram à farmácia comprar o antiinflamatório.
   Enquanto trocavam minha compressa de gelo e recolocavam a tala de papelão, ligamos para o especialista em torcer tornozelo.. Scavuzzi! Ele já torceu tanto o tornozelo que sabe todos os procedimentos, incluindo o que o médico vai fazer e receitar. Pelo telefone mesmo, esclareceu que a lição disso tudo era que eu estava muito velha para ficar pulando em cama elástica. De um senso de humor perfeito o meu amigo!
   As crianças presentes só queriam ir embora do aniversário da Tia Lulu depois dos parabéns! Improvisamos o bolo num banquinho ao lado do sofá pra eu poder apagar as velinhas, já que não conseguia levantar. Os poucos convidados ajudaram meus filhos a arrumar a casa e guardar as coisas de geladeira. Mauro me carregou de 'macaquinho' até meu quarto, todos vieram me abraçar e se foram. Minhas crianças terminaram de fechar a casa, pegaram seus colchões e vieram para o meu quarto. Tiveram medo de dormir comigo e me machucar mais mas, ficaram ali pertinho em seus colchões.
   Antes de adormecer, tentei planejar o dia seguinte. Precisava desmarcar os pacientes, arrumar um jeito de ir ao hospital para saber se foi grave, tinha uns filmes pra devolver.. Mas, como resolver tudo sem poder andar, muito menos dirigir? E sabem o que a pessoa faz quando não sabe o que fazer?? Acertou! Nada! Então fui dormir..
   Acordei com meu filhote se arrumando pra ir à escola em meio àquela chuva do começo da manhã. Não pude descer para arrumar seu café da manhã, nem levá-lo à escola. Mais tarde, às 8 em ponto, meu amigo Mauroba ligou para saber o que estava pensando em fazer.. Na verdade, já acordei sabendo o que faria! Só não sabia como! Então posso dizer que meu anjo da guarda (o Zé, lembram?!) avisou aos meus amigos que precisava de ajuda. Bom! Mauro organizou tudo! Ligou para Marcelo, contando o ocorrido, que já me ligou combinando a hora que me pegaria para ir ao Ortopedista.. Pôxa! Eu tenho tanta sorte que qualquer apuro parece só coisa da minha cabeça. A Providência Divina resolve tudo!
   Voltei pra casa com o pé engessado, e assim será por 8 longos e perpétuos dias! As pendências de hoje estão OK. As crianças estão me dando uma força danada! Neusinha tomou o maior susto quando me viu detonada. Amanhã devo alugar umas muletas para dar uma passadinha no Consultório com uma carona que consegui. Além do mais, vou a um esperadíssimo evento da escola da filhota no sábado, capengando mesmo. Não posso perder a peça de teatro da pessoa! Fora isso, estarei de molho mesmo. Quietinha.. O aniversário com pedal do fim de semana foi cancelado. Esqueçamos essa parte, por enquanto. Tem a Carrasco no fim de novembro.. Vamos parar com essa conversa pra eu não chorar! Esperemos tirar o gesso pra ver como estarei.
   Agora, com a cabeça fria e a perna pra cima, estou aqui a avaliar todas as lições que posso tirar de tudo o que aconteceu em pleno festejo de 40 anos. Esperei 40 anos para comemorar e acontece uma coisa dessas!.. Paciência! Não posso ser tudo, nem fazer tudo! Não sou super! Poderia ter sido pior! E tenho pessoas maravilhosas por perto com as quais posso contar a qualquer hora! Que bom que estou aqui, nessa caminhada, nesses encontros felizes! Quarentona! Esperando calmamente a semana passar, vivendo um dia após o outro, uma pendência depois da outra, pacientemente. Quero ficar boa logo! Colocar o pé no chão e comemorar a minha saúde! Correr, pedalar, remar, pular! Blá, blá, blá!
   "Feliz aniversário Luluzinha! Viva a sua vontade de se mexer!!" Talvez a lição seja bem essa.. Será??

Nenhum comentário: