domingo, 8 de setembro de 2019

Itália- Parte 3- Florença

   E eu que pensei que toda a lindeza do mundo se resumia a Paris e Roma, não cansava de me impressionar! Da Estação de trem, a pessoa já dá de cara com a Igreja de Santa Maria Novella. Ah! Falando em trem, não esqueçamos de viajar de trem pela Itália. Rápido, confortável e o preço fica menor se comprar passagens com antecedência.
   Florença é linda, vibrante, ensolarada no verão e cheia de turistas. Aliás, turista de tudo que é canto, saindo pelas tabelas. Hordas de turistas mesmo!!


   Depois do check-in do hotel, fomos bater perna. Lembrando que fizemos essa viagem de mochilão, com o mínimo de bagagem possível, caminhando ou usando transporte público na maioria das vezes e quase sem comprar nada pra nós nem pra ninguém.
   Entramos na Catedral Duomo, que é de graça mas precisa cobrir os ombros, como em quase todas as igrejas da Itália. Sempre com fila pra entrar, a suntuosidade lá de dentro compensa o tempinho de sol quente lá fora.


   Todo canto em Florença tem obra de arte! Se você não conseguir entrar nos museus, a cidade é o próprio museu, o berço do Renascimento. Conhecemos tudo andando, subimos até a Piazza Michelangelo, entramos em não sei quantas igrejas, atravessamos a Ponte Vecchio, demos uma chegadinha em frente ao Palazzo Pitti.






   No dia seguinte, bem cedinho, visitamos a Galeria Uffizi. Em Florença, os ingressos para as atrações mais famosas precisam ser compradas com antecedência também. Coisa mais linda a Galeria! Valeu a pena demais!


   Do almocinho no Mercado San Lorenzo, saímos para encontrar as lojas de aluguel de bicicletas. Mesmo tendo pesquisado do Brasil, deixamos pra ver tudo em Florença por termos achado os preços muito altos. Das três lojas próximas, duas eram completamente impossíveis de ter o que queríamos. Aliás, as bicicletas eram indecentes para fazer um percurso até San Giminignano. Achei até cara de pau do dono da loja, dizer que serviam perfeitamente. Enfim, encontramos uma loja massa, a Florence by Bike, onde alugamos duas bikes bem legais, do jeito que queríamos, sem motor elétrico.


   Gente, em Florença tem lojas de aluguel de bike demais! Tem gente pedalando pra todo lado, pelas ruas estreitas, disputando espaço amigavelmente com os carros.
   “Beleza de Creuza!” Arrumamos uma bagagem minimalista para passarmos três dias em San Giminignano, indo e voltando de bicicleta. As mochilas grandes ficaram no hotel, onde passaríamos a noite na volta.
   Na manhã de 21 de junho, depois do café, seguimos para a loja de bike, pegamos as magrelas, passamos na Decathlon de Florença e pegamos a estrada para a cidade medieval.
   Na próxima postagem eu conto dos três dias de bike pela Toscana. 


Nenhum comentário: