Pular para o conteúdo principal

Próxima parada: TG500 2021

Resolvemos fazer uma Corrida de Aventura que vai desafiar nosso tudo! Uma corrida de 500km.

Como vocês já sabem, fiz algumas dessas. Os meninos, ainda não. Eu e Vitor (meu marido querido) sempre na vontade de corrermos juntos, adiamos por conta das coisas da vida. São muitas coisas da vida que tentam nos paralisar! O ano de 2020 veio devastador! Alguns aproveitaram pra transformar a devastação iniciando um replantio, outros preferiram continuar na Síndrome da Gabriela: “Eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim...”. A música é massa mas é tema das mais diversas rodas de conversa entre psicoterapeutas e afins. Dá um trabalho danado mudar os nossos padrões de comportamento mas vale muito a pena experimentar. Por isso, decidimos sair da nossa zona de conforto e partir pra luta.

Mas quem convidar pra compor o quarteto, diante de uma equipe que é um clube composto de tanta gente boa e preparada? Quem são os meninos? Partimos do pressuposto que o atleta precisa querer muito de verdade, “di cum força”. Não pode ser tanto faz. Todos precisam estar cientes dos custos psicológicos, sociais e financeiros da empreitada. Os objetivos precisam ser claros e bem definidos.

Uma pena que não podíamos ir uns dez juntos! À nossa mente, vieram pessoas com as quais já tínhamos conversado sobre o assunto. Maurício, em cada bate papo, comentava sobre o dia em que surgisse oportunidade de fazermos uma longa juntos. João também expressava a vontade. Só não sabia onde estava se metendo, coitado.

Vitor, João, Luciana e Maurício


No fim das contas, o universo conspirou horrores, com Maurício dando aquele ponta pé inicial na formação da equipe. Sim, foi ele quem disse: "Eu vou, vocês vão?". Juntamos o ótimo com o agradável, nos escolhemos por afinidade e vontade, a coisa fluiu e estamos nessa empreitada juntos.

Procuramos a Tia Fê pra ficarmos com o mesmo treinador. Fizemos reunião pra falar de tudo que viveríamos juntos por um bom tempo e que, certamente vai reverberar em experiências que teremos para o resto das nossas vidas. A Tia Fê, por sua vez, pediu uma reunião pra saber o que a gente queria mesmo e passar a real sobre os treinamentos dela. Enfim, NÓS aqui! Eu e urminino!

Com toda experiência que pareço ter, nunca tinha treinado com a equipe inteira com a mesma treinadora, com tantas oportunidades de encontros para alinhamento. Em quase todas as provas que fiz, pouco treinava o quarteto inteiro e poucos eram tão focados como eles são. Em outros tempos, cansei de fazer treino sozinha de 160km de pedal, encontrando amigos no meio do caminho, que faziam parte dos meus treinos pra me fazer companhia. Mas era tudo no meu ritmo, descansava quando queria, o vento contra reduzia minha velocidade sem que me incomodasse e por aí vai... O fato é que, do nosso Start pra cá, lá se vão 4 meses com treinos em equipe, que tem me deixado totalmente fora da zona de conforto. Os meninos são super focados nos treinos e fortes! Estão cada vez melhores! Além disso, me tratam de igual pra igual.

Por minha vez, tenho me dedicado intensamente aos treinos, sem faltar um dia sequer, como se fosse um trabalho. Quero chegar no dia da prova tão forte quanto eles, correr tanto quanto eles, pedalar e remar tanto quanto eles. Mesmo sabendo que não ganhamos pra isso e existe vida além da Corrida de Aventura, a família mais do que entende. Pensem numa válvula de escape? Na minha vida, aproveito pra jogar pra fora muita coisa nos momentos de treino. É terapia da melhor qualidade!

Enfim, temos vários treinos interessantes pra fazer até lá, incluindo uma prova desafiadora. Vamos seguindo que vou contar muita coisa pra vocês sobre nossos dias de treinamento.

Amando treinar com eles! Eu que lute pra acompanhar! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Italia- Parte 5- Veneza

   De volta à Florença, devolvemos as bicicletas e ficamos sentados numa pracinha, à espera do melhor momento de chegar ao Hotel.    Após mais uma noite, lá estávamos nós, na estação de trem, seguindo para Veneza.    Sempre impressionada com tanta grandiosidade e beleza do Velho Mundo, Veneza superou ainda mais. Você sai da estação de cara com canais, pontes e edificações belíssimas. Veneza fervilhava, tanto de calor quanto de turistas. Tinha gente pra não acabar nunca mais! Acho que tinha até extraterrestres em Veneza.   Parecia carnaval na Bahia.    Nos hospedamos pelo Airbnb no bairro Cannaregio, perto de tudo. Paleteiros que somos, as caminhadas foram constantes. Conhecemos todos os lugares à pé. Foram 3 noites explorando Veneza, entrando em todas as igrejas possíveis e imaginárias, dos pontos turísticos manjados aos museus inusitados, escondidos nas ruelas da cidade.    De tudo o que vi, a vista da Praça San Marco mais impressionou. Do outro la

Itália- Parte 4- San Giminignano

   Essa parte da viagem foi uma experiência bem interessante! Desprendidos de grande parte da bagagem, com uma pequena mochila nas costas, pegamos a estrada com bicicletas alugadas em Florença.  Na bagagem, duas mudas de roupas, produtos de higiene pessoal, papeis do seguro de viagem e passaportes. Sem internet, "printamos" telas dos mapas pra termos ideia do percurso, que já estava quase decorado na cabeça.    Atravessamos a Ponte Vecchio, em direção à Porta Romana para o sul (ou seria sudoeste?) da Toscana. A Porta Romana é uma porta enorme mesmo, por onde passam carros, gente e bicicleta. Tudo ali era murado, antes.    Evitando as vias mais movimentadas, seguimos por Certoza em direção à Tavarnuzze. Num cruzamento, com dúvidas, sentimos dificuldade pra pegar informação com alguém. No interior, é mais complicado encontrar alguém que fale inglês, além disso, o italiano é mais difícil de entender. Por dedução, intuição ou sei lá o quê, escolhemos a estrada da esque

Itália- Parte 3- Florença

   E eu que pensei que toda a lindeza do mundo se resumia a Paris e Roma, não cansava de me impressionar!  Da Estação de trem, a pessoa já dá de cara com a Igreja de Santa Maria Novella. Ah! Falando em trem, não esqueçamos de viajar de trem pela Itália. Rápido, confortável e o preço fica menor se comprar passagens com antecedência.    Florença é linda, vibrante, ensolarada no verão e cheia de turistas. Aliás, turista de tudo que é canto, saindo pelas tabelas. Hordas de turistas mesmo!!    Depois do check-in do hotel, fomos bater perna. Lembrando que fizemos essa viagem de mochilão, com o mínimo de bagagem possível, caminhando ou usando transporte público na maioria das vezes e quase sem comprar nada pra nós nem pra ninguém.    Entramos na Catedral Duomo, que é de graça mas precisa cobrir os ombros, como em quase todas as igrejas da Itália. Sempre com fila pra entrar, a suntuosidade lá de dentro compensa o tempinho de sol quente lá fora.    Todo