quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Voltamos quase inteiros!

Melhor olhar a paisagem pra relaxar!

Ainda bem que anjo da guarda existe e eu já tinha convocado todos os deuses antes de ir pra Carrasco.

Já estava previsto que não teríamos um desempenho dos melhores. Só queríamos concluir e qualquer resultado dali pra frente seria massa! Só que não contamos com aquela tal de Lei de Murphy. Aquela que diz que nada pode ser tão ruim que não possa piorar, sabe?! Pois é! A coisa pôde ser pior do que esperamos. E foi!

Eu e Claudio fizemos uma ótima viagem até Milagres, cidade de largada da prova. Lucy, Marcelo, Scavuzzi e Mauro já passaram por um pequeno incidente na estrada, quando um carro quase esmagou a bicicleta de Scavuzzi que estava presa na mala do carro.

Fizemos a parte burocrática da prova e fomos até a pousada que conseguimos na beira da estrada. O detalhe é que os quartos que reservamos estavam ocupados e, depois de muita conversa, o recepcionista atordoado conseguiu outros quartos pra nós. Só que sem ar, frigobar e nem TV. Imaginem se a gente estava se preocupando com isso! Foi ótimo! Lá estava tão frio! E mais barato!

Resolvemos então acordar cedo pra tomar um banho antes da largada. Pegamos as bicicletas e descemos o ladeirão de 3km da estrada que nos separava do centro de Milagres, onde seria a largada às 5:30h. Meu Deus!!! Vocês já conseguem imaginar o que aconteceu? Um descidão bala!!! Passei pelo desnível de asfalto e, logo depois, ouvi um barulho de queda. Pois é! Claudio tomou uma queda feia, se machucou todo e empenou o pneu da bicicleta faltando 15minutos da largada. E foi a maior sorte não ter sido pior! No mesmo momento passava um caminhão enorme ao lado dele.

Ai gente! A equipe é tão tranquila que resolvemos tudo sem muito alarde. Fui buscar ajuda enquanto os meninos socorriam Claudio. Já na largada, fiquei procurando um mecânico de bike ou uma bicicleta extra. Encontrei as duas coisas. O mecânico desempenou a bicicleta do jeito que pôde e a Insanos conseguiu uma bicicleta reserva pra nós. Claudio decidiu largar com a bike dele mesmo! E ficamos com a bicicleta de Daniel para o caso de urgência.

Fizemos os 54km de bike juntos, mesmo sabendo que podíamos nos separar até relargar no fim do trecho. Fizemos tudo devagar e tivemos a sorte de só ter três pneus furados. Teve gente que furou pneu oito vezes!

Mesmo depois de tudo, ainda fizemos 26horas de prova. Paramos no PC12. Foi o mais longe que pudemos levar Claudio e o mais longe que ele conseguiu ir, que já sentia dores de cabeça, no corpo e mal estar.

Mesmo sofrendo, pois não há como não sofrer, nos divertimos muito! Fizemos hora com a cara de Claudio. Marcelo já estava se sentindo mais magro de tanto suar. Scavuzzi zoava comigo, dizendo que eu tinha que mais macho porque estava carregando o Duck muito devagar. E nós chupamos umbu pelo caminho inteiro, incuindo nas paradinhas pra descansar!

Fazendo um apanhado geral, podemos considerar que fizemos uma prova horrorosa! Mas, sinceramente, ainda acho que poderia ter sido pior. Tivemos sorte por não ter sido pior! E fomos persistentes até o último minuto. Nem pensamos em não largar!

Já viram!? Nem tudo são flores! E ainda bem que as dificuldades existem pra gente refletir, aprender e seguir em frente! Essa não foi a nossa última corrida, podem ter certeza! Dias melhores virão!

OBS: O release completo será feito por Marcelo. Acho que no final da semana estará disponível no blog da Aventureiros do Agreste.

Nenhum comentário: